Política

Posicionamento · 03/09/2021 - 12h00 | Última atualização em 03/09/2021 - 15h18

Ex-coordenador do GAECO diz que Ministério Público tem deixado a desejar no combate à corrupção

“O MP-PI deve ser humilde, aceitar as críticas, aproveitá-las para melhorar a sua atuação, corrigir erros, pedir desculpas”


Compartilhar Tweet 1



 

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

_Promotor de Justiça Rômulo Cordão, ex-coordenador do poderoso GAECO (Foto: Divulgação)
_Promotor de Justiça Rômulo Cordão, ex-coordenador do GAECO (Foto: Divulgação) 

UMA AUTOCRÍTICA PARA OS QUE COMPÕEM A INSTITUIÇÃO

Em meio a descontentamentos quase que generalizados em vários setores da sociedade piauiense com vários dos que compõem a importante e imprescindível instituição Ministério Público do Piauí (MP-PI), palco de ações, por vezes, tímidas, outras vezes desarrazoadas e intimidatórias, a exemplo de recentes ações em massa e atos contra jornalistas, objetivando a censura material e formal, o promotor de Justiça Rômulo Cordão, ex-coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), publicou em rede social que o MP-PI precisa retomar o combate à corrupção, além de que “voltar ao prumo correto da história”.

“Contra fatos não há argumentos, o MP-PI tem deixado muito a desejar à sociedade piauiense, sobretudo em relação aos escancarados casos de corrupção que estamos vendo todos os dias”, disse, em postagem que seguiu imagem (logo abaixo) com desaprovação à atuação da instituição. 

Cordão fala ainda que “o MP-PI deve ser humilde, aceitar as críticas, aproveitá-las para melhorar a sua atuação, corrigir os erros, pedir desculpas dos equívocos e escolhas do passado e voltar ao prumo correto da história, aos trilhos da sua missão constitucional, a fim de obter, como um dia já teve, o respeito, a admiração e, sobretudo, o apoio da sociedade”.

“Pois nossa existência”, segue dizendo, “nossa razão de ser é a defesa da sociedade e, se um dia a sociedade passar a crer que somos dispensáveis, não haverá mais razão para a existência do Ministério Público”.

“Vamos acordar”, alertou. Antes, no início da publicação, Rômulo Cordão falou que é “muitíssimo honrado e grato a Deus por pertencer” ao MP-PI. 

VEJA A PUBLICAÇÃO:

_Imagem: Reprodução
_Imagem: Reprodução 

 

Comentários