Política

Congresso da Abraji · 28/06/2019 - 14h24 | Última atualização em 28/06/2019 - 14h36

“Eu não estou nem aí se o Moro cair ou não”, diz editor do The Intercept ao 180graus

Jornalista é especializado em jornalismo investigativo com ênfase em máfia, na Itália, e questiona a crença cega nas fontes oficiais


Compartilhar Tweet 1



 

Por Rômulo Rocha - De São Paulo

 

___________________

- Na próxima semana, o Blog Bastidores, do 180, publica uma série de matérias sobre o pensamento do site que tem pautado as redações brasileiras com uma visão crítica sobre as fontes oficiais, sobre a falta de questionamento sobre se o que elas dizem é realmente verdade ou mentira, em nome do combate à corrupção. AInda, como a Lava Jato usa a comunicação de forma estratégica para fortalecer sua imagem de heróis inquestionáveis no combate à comunicação. Mais: A Globo é única que não quer trabalhar com o material do site.

______________________________

Leandro Demori, editor executivo do The Intercept Brasi e conselheiro fiscal da Abraji
_Leandro Demori, editor executivo do The Intercept Brasil e conselheiro fiscal da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji)

JORNALISMO

Uma das fortes declarações do editor executivo do site The Intercept Brasil, conselheiro fiscal da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), durante Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo que ocorre em São Paulo, é a de que ele não está nem aí se o ministro da Justiça Sérgio Moro cair ou não. “Eu estou fazendo jornalismo”, tascou. 

Leandro Demori é formado pela PUC-RS, especializado em jornalismo investigativo com ênfase em máfia pela Associação de Jornalismo Investigativo do Lazio (Roma, Itália) e certificado como Investigador Web pela City University London (Inglaterra). Também é o autor de “Cosa Nostra no Brasil, a história do mafioso que derrubou um império”. 

Próxima semana, o Blog Bastidores mostra muito dos bastidores da divulgação de diálogos que afetam a imagem da Lava Jato. Ainda, a forma de pensar, legítima, do The Intercept, na visão do próprio jornalista, e o risco de profissionais de imprensa de sempre acreditarem em fontes oficiais como se elas fossem donos da verdade. 

“Nós temos juízes condenados por vender sentença. Temos procuradores envolvidos em casos de corrupção. É preciso ser cético”, disse.

As matérias também revelarão algumas das estratégias usadas pelo site, composto de 18 profissionais, para que não seja desacreditado e engolido pelo governo.


Comentários