Política

Mais Pavimentações · 07/10/2019 - 18h31 | Última atualização em 07/10/2019 - 18h35

Empreiteira alvo de quebras de sigilos fiscal e bancário atua em pavimentações do FINISA

Construplan também é alvo de tomadas de contas especiais do TCE em face do Caso IDEPI, suposto esquema de superfaturamento de estradas vicinais


Compartilhar Tweet 1



 

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

DO IDEPI PARA O FINISA

Uma das empreiteiras alvo das tomadas de contas especiais no âmbito do Caso IDEPI - suposto esquema de superfaturamento de estradas vicinais no estado do Piauí no governo Zé Filho, a Construplan Engenharia e Serviços LTDA aparece nas tabelas de obras contratadas com recursos do FINISA, no âmbito das pavimentações, manutenções e recuperações de estradas. 

O FINISA também está sob investigação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) em face de suposto superfaturamento nas pavimentações em paralelepípedo, que virou febre no Piauí desde o ano que antecedeu a última eleição majoritária.

A Construplan Engenharia já chegou a ser alvo do Ministério Público Estadual em apuração de superfaturamento de mais de R$ 10 milhões em contratos, juntamente com outros empreiteiros no âmbito do Caso IDEPI - que deve iniciar o julgamento de mais de três dezenas de tomadas de contas especiais esta semana, envolvendo quase duas dezenas de agentes públicos e empreiteiros. 

Caso Idepi, que vai a julgamento: construtora que atua no Finisa também fez estradas vicinais sob suspeita de superfaturamento
_O Caso IDEPI deve ter seu julgamento iniciado esta semana, de forma fatiada. Várias construtoras pegas no caso das estradas vicinais pelos órgãos de controle também foram contratadas para fazer pavimentações com recursos do FINISA         

A Construplan também chegou a ter seus sigilos fiscal e bancário quebrados a pedido do promotor de Justiça Fernando Santos e por determinação judicial do juiz Rodrigo Allagio Ribeiro.

A pasta para a qual a construtura está a realizar as obras do FINISA é a Secretaria de Transportes.

Há inúmeros empenhos e pagamentos à empreiteira por obras de implantação, pavimentação, manutenção e recuperação de estradas, segundo dados do Portal da Transparência do Governo do Estado do Piauí no âmbito do FINISA.

Só um desses pagamentos é da ordem de R$ 1,14 milhão.

Muito pouco perto dos superfaturamentos que os técnicos do TCE sustentam ter no âmbito do Caso IDEPI.

VEJA AINDA:____________

- Caso IDEPI: TCE deve iniciar o julgamento de um complexo caso de superfaturamentos em estradas do PI


Comentários