Política

"Problema não é de logística" · 24/02/2021 - 17h06 | Última atualização em 24/02/2021 - 19h53

Em Brasília, Wellington Dias destaca necessidade de alternativas para aquisição de vacinas

Governador participou de audiência com os Procuradores Gerais de Justiça dos Estados, em Brasília


Compartilhar Tweet 1



O governador Wellington Dias participou, nesta quarta-feira (24), de audiência com os procuradores gerais de Justiça dos Estados, no Ministério Público do Trabalho, em Brasília. Na pauta, a aquisição de vacinas.

Presidente do Consórcio Nordeste e coordenador do tema da vacina no Fórum Nacional de Governadores, Wellington Dias falou sobre a necessidade urgente das vacinas e ressaltou que o Brasil tem uma estrutura de distribuição de vacinas incomparável no mundo. “Temos uma experiência extraordinária (em campanhas de vacinação). O problema não é de logística. É comprovado que, ao recebermos uma vacina da Índia, no dia seguinte, ela estará nos estados. A exceção seria alguns lugares da região Norte. O problema é encontrarmos uma sintonia entre todos para garantir as condições de a Anvisa encontrar um caminho para autorizar mais vacinas. Não queremos ser concorrentes da União. Queremos ser parceiros e que a União coordene porque tem a responsabilidade e a estrutura”, explica Dias, enfatizando o papel crucial que deveria ser desempenhado pelo Governo Federal.

De acordo com o governador, é urgente a vacinação coordenada em todos os estados, pois não adianta uma unidade da Federação estar mais adiantado no processo de imunização que outro estado.  Dias falou também da importância de o Governo Federal se comprometer em ressarcir os Estados, caso estes comprem vacinas que a União tenha aberto mão. Para ele, com a imunização da população os impactos sociais e econômicos gerados pela pandemia serão consequentemente amenizados. “Se a gente centrar mais na vacinação e alcançar todo o primeiro grupo de 25% e, em julho, mais 50%, totalizando 75% da população vacinada, isso terá reflexo no lado social e econômico. Essa é a alternativa”, afirmou.


Fonte: Com informações da CCom

Comentários