Política

Com limitação de veículos · 11/12/2018 - 09h21 | Última atualização em 11/12/2018 - 12h12

Câmara de Teresina aprova projeto que regulamenta o transporte por aplicativos

Uma mulher, que trabalha como motorista de aplicativo, acabou sendo agredida


Compartilhar Tweet 1



Matéria atualizada às 11h56

Em segunda votação, a Câmara Municipal de Teresina aprovou o Projeto de Lei  para regulamentação dos transportes de passageiros por aplicativos.

Com 25 vereadores presentes, foram 20 votos a favor, um contra, do vereador Deolindo Moura e três abstenções, do vereador Joaquim do Arroz, vereadora Cida Santiago e Professor Zé Nito.

Matéria atualizada às 11h22

A Câmara Municipal de Teresina aprovou agora pouco em primeira votação o Projeto de Lei de autoria da Prefeitura para regulamentação dos transportes de passageiros por aplicativos. 

Dos 26 vereadores presentes, nem todos votaram, sendo registrados 18 votos a favor, além de um voto contrário do vereador Deolindo Moura e abstenção do vereador Joaquim do Arroz.

A sessão foi interrompida por 30 minutos quando será retomada para a segunda votação do projeto.

SESSÃO TUMULTUADA
Houve briga durante a sessão desta terça-feira (11/12) na Câmara de Vereadores de Teresina, para votação do Projeto de Lei da prefeitura, para a regulamentação dos transportes por aplicativo na capital.

Na confusão, uma mulher que mostrou um cartaz em plenário, acabou sendo agredida. A suspeita é que o agressor seja um taxista. A situação está sendo apurada.

A discussão do projeto acontece sob muita manifestação de taxistas e motoristas de aplicativos presente em plenário. 

Diante do clima de tumulto, a Mesa Diretora da Casa solicitou que fossem enviadas equipes da Polícia Militar para reforçar a segurança no plenário.

Já durante a sessão de hoje, os vereadores aprovaram o pedido apresentado pela prefeitura de Teresina para tramitação da proposta em regime de urgência.

Ontem, em reunião com os vereadores, o prefeito Firmino Filho chegou a se comprometer que não limitaria o número de motoristas de aplicativos na cidade, um dos pontos considerados mais polêmicos no projeto.

Aguarde mais informações

 

Comentários