'Acidente' -

Professor temporário, PM quebra braço de aluno autista em crise

Um policial militar e professor temporário da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF) está sendo apontado como responsável por quebrar o braço de um adolescente autista no Centro de Ensino Especial 1 do Guará. O incidente ocorreu na última terça-feira (07/11), e o militar, identificado como Renato Caldas Paranã, 41 anos, teria sido convocado para substituir uma professora de informática afastada. Com informações do Metrópoles.

Foto: Reprodução

Testemunhas relatam que o adolescente, classificado como autista não verbal de nível 3, estava agitado no dia do ocorrido. Mesmo após ordens contrárias da vice-diretora da escola, Renato teria segurado o jovem "com muita força pelos braços". A ação resultou na quebra do braço do adolescente, que foi encaminhado ao Hospital de Base e passou por cirurgia para colocação de pinos de titânio.

A vice-diretora, ao testemunhar o ocorrido, pediu para o PM interromper a ação, mas ele não teria acatado. Ao retornar com uma psicóloga, a educadora encontrou o adolescente caído com o braço quebrado. O Corpo de Bombeiros foi acionado, e a 4ª Delegacia de Polícia (Guará) está investigando o caso.

Foto: Reprodução

O Movimento do Orgulho Autista (Moab), a Ordem dos Advogados de Brasília (OAB), e o Conselho Tutelar anunciaram uma reunião com a Coordenação da Regional de Ensino para discutir o caso e outros incidentes em escolas públicas do Guará.

A SEEDF informou que o professor foi afastado imediatamente, repudiando qualquer ato de violência. A Polícia Civil e a Corregedoria da SEEDF estão apurando o caso. A PMDF classificou o incidente como um "acidente", mencionando que ocorreu durante o atendimento a um aluno com Transtorno do Espectro Autista em crise nervosa. A defesa do policial ainda não foi localizada. O espaço permanece aberto para eventuais manifestações.

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco