Entenda o caso -

Policial de grupo de elite é morto por PM ao ser confundido com ladrão

Na noite de sexta-feira (29/3), o cabo Rahoney de Paula Vieira, do 4º Batalhão de Choque, encontrou uma morte trágica após ser baleado por um policial militar. O incidente ocorreu por volta das 22h40, na zona sul de São Paulo, quando Rahoney, de 31 anos, estava conduzindo uma abordagem em um veículo, trajando roupas civis, na Vila Andrade.

Durante a abordagem, uma viatura do 16º Batalhão da PM passou pela região. Os policiais na viatura alegam ter avistado Rahoney com capacete e "com a arma em punho apontada para um veículo" na Rua Maria José da Conceição. Acreditando se tratar de um assalto, um dos agentes disparou contra Rahoney.

Foto: Reprodução

Posteriormente, ao abordá-lo, os policiais descobriram que ele também era um policial e o levaram, na viatura, ao Hospital Albert Einstein. Infelizmente, Rahoney sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu. O veículo patrulhado contava com um cabo e um soldado.

É apurado que Rahoney trabalhou anteriormente no 16º BPM antes de integrar o Comando de Operações Especiais da PM. Poucas horas antes do trágico incidente, ele compartilhou um vídeo em uma rede social mencionando seu antigo trabalho no referido batalhão.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) declarou que a PM e o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) estão investigando "todas as circunstâncias" relacionadas à morte do policial. A pasta especificou que "um dos policiais do patrulhamento" foi responsável pelo disparo fatal, mas não detalhou qual. O caso está sendo tratado como morte decorrente de intervenção policial.

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco