Crime bárbaro -

Bebê de nove meses com sinais de estupro morre e padrasto suspeito do crime é preso

Um bebê de nove meses de idade, identificado como Isaac Franca Farias de Melo, deu entrada em uma Assistência Médica Ambulatorial (AMA) na região do Capão Redondo, zona sul de São Paulo, no domingo (17/09), em estado de parada cardiorrespiratória e apresentando lesões que levantaram suspeitas de estupro. Com informações do R7.

O bebê estava sob os cuidados do padrasto, Rafael Júlio Bezerra Santos, de 26 anos, que o encaminhou para a unidade de saúde. No entanto, a equipe médica solicitou o apoio da Guarda Civil Metropolitana (GCM) devido ao comportamento agressivo de Rafael durante o atendimento.

Embora o padrasto tenha afirmado que o bebê teria se engasgado com um pedaço de pão, a equipe médica não encontrou indícios que confirmassem essa explicação durante o procedimento de intubação. Além disso, Isaac apresentava diversas manchas pelo corpo, sangramento superficial em algumas delas, lesões com formatos redondos e puntiformes, além de um pequeno sangramento na bolsa escrotal e o ânus dilatado.

Diante do estado de saúde crítico de Isaac, a médica solicitou sua transferência para o Hospital do M'Boi Mirim. Durante o trajeto na ambulância, Rafael insistiu em acompanhar. A criança foi transferida para o hospital, mas sofreu uma nova parada cardiorrespiratória e não resistiu.

A mãe da criança, Gabriela França Farias de Melo, de 21 anos, foi informada sobre a morte de seu filho e compareceu ao hospital. Ela havia deixado o bebê sob os cuidados de seu namorado, Rafael, enquanto estava no trabalho. A última comunicação entre eles foi por volta das 15h30, quando ela perguntou sobre a criança.

No entanto, Gabriela recebeu uma ligação da cunhada informando que Isaac estava no Hospital do M'Boi Mirim. Logo depois, foi informada sobre a morte do filho. Ela afirmou não ter notado qualquer lesão na criança, exceto uma marca nas costas, que atribuiu ao fato de Isaac ter dormido em cima de uma chupeta.

O irmão de Gabriela relatou ter encontrado o bebê com hematomas pelo corpo e manchas de sangue no lençol da cama quando foi à casa de Rafael. Rafael, por sua vez, permaneceu em silêncio durante o depoimento à polícia. Ele foi preso em flagrante pelo crime de estupro, que resultou na morte da vítima, e a polícia representou pela sua prisão preventiva. O caso está sendo investigado pelo 47° DP (Capão Redondo).

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco