Municípios - PI

Sem energia na Prefeitura · 24/10/2012 - 08h05

Prefeitura De Miguel Alves Mais Uma Vez Tem Sua Energia Cortada

81 prefeituras tiveram a energia cortada, metade já providenciou o pagamento do atraso


Compartilhar Tweet 1



A Prefeitura Municipal de Miguel Alves que fica á 110 Km da capital, Teresina, administrada atualmente por Oliveira Júnior que não conseguiu sua reeleição sendo derrotado pela médica Salete Rego(PSD) está já há mais de duas semanas sem energia elétrica por conta de dívidas com a Eletrobrás Distribuição Piauí. 81 prefeituras tiveram a energia cortada, metade providenciou o pagamento do atraso e teve a luz religada, mas 40 estão sem energia em suas sedes e outros órgãos da administração municipal, entre elas está a prefeitura municipal de Miguel Alves.

Essas 40 prefeituras devem um total de R$ 38 milhões à Eletrobras. A lista com com nomes das prefeituras inadimplentes será encaminhada ao Tribunal de Contas do Estado. Se não pagarem os débitos, os prefeitos terão as contas reprovadas pelo órgão de fiscalização e controle externo. A reprovação das contas implica, dentre outras sanções, na aplicação de multas ao prefeito devedor e a inclusão do nome do gestor na Lei de Ficha Limpa, além dele ficar impedido de ser candidato a cargos eletivos por um período de até oito anos.

Será a primeira vez que a Eletrobras encaminha ao TCE lista de prefeituras em débito com a empresa, desde que o tribunal aprovou resolução estabelecendo a adimplência com serviços como água e luz, como condição para a aprovação das prestações de contas dos municípios. A resolução foi aprovada em fevereiro do ano passado, depois de entendimentos entre o TCE e a Eletrobrás, devido ao elevado volume de débitos da prefeituras com a Eletrobrás. Na época, as dívidas dos municípios com a empresa somavam R$ 90 milhões. Hoje, alcançam R$ 134 milhões.

Situações como estas não são as únicas ocorridas na administração do atual prefeito, pois não são só as contas de energia da prefeitura que atrasam ao ponto de ter o seu fornecimento cortado pela empresa distribuidora, sendo que só este ano, a energia já foi cortada umas três vezes, mas também os funcionários sofrem com o atraso de seus pagamentos entre outros débitos.


Fonte: Com informações do Portal de Miguel Alves