Democracia ou barbárie? · 10/10/2018 - 10h33

Qual a posição de Firmino Filho: a democracia, representada por Haddad ou a barbárie por Bolsonaro?


Compartilhar Tweet 1



 

Em 09 de maio do ano passado, publiquei neste blog o texto: "Firmino vai ao Congresso do PT e fala de paz e amor, tem falado disso também nos eventos do PSDB?".

Na ocasião cobrava da direção estadual do PT o fato de ter convidado para o Congresso da sigla um representante tão autêntico do PSDB como o prefeito Firmino Filho. Justificava a cobrança alegando que o PSDB era um dos artífices do golpe de 2016 e elencava justificativas para o que cobrava do PT. 

Ao mesmo tempo afirmando que o exercício da política é a tomada de posição frente a fatos sociais cobrei de Firmino Filho alguns posicionamentos públicos sobre fatos relevantes para o Brasil tais como a reforma da previdência, o julgamento de Lula e a caracterização de 2016 como um golpe no Brasil. 

Hoje, o derrotado candidato do PSDB ao governo do Piauí, Luciano Nunes, demonstrando ressentimento e desapego à democracia declarou que sua posição é a de apoiar Jair Bolsonaro no segundo turno da eleição presidencial.   

O ressentimento de Luciano Nunes, o fez esquecer (ou talvez não saiba) que em 1989 quando o segundo turno da eleição presidencial foi disputado entre Fernando Collor e Lula, importantes lideranças do PSDB declararam apoio ao candidato petista, entre elas, Fernando Henrique Cardoso e, o então senador Mario Covas, hoje falecido, mas uma das maiores expressões do PSDB. 

Outro grande nome do PSDB, também falecido, o ex-prefeito de Teresina Raimundo Wall Ferraz, declarou irrestrito apoio a Lula naquele segundo turno. 

O atual prefeito de Teresina Firmino Filho tem mais uma oportunidade de justificar aquela sua presença num Congresso do PT e de se alinhar com as autenticas lideranças do antigo PSDB. Que posição irá adotar o prefeito da capital Firmino Filho diante do impasse que vive o Brasil: a democracia, representada na candidatura de Fernando Haddad ou a barbárie, que Jair Bolsonaro representa?  

 

 

  

Comentários