Comício na Paraíba · 20/03/2017 - 19h08

Povo diz 'muito obrigado' a Lula e Dilma pela água e por tudo

Povo diz 'muito obrigado' a Lula e Dilma pela água e por tudo


Compartilhar Tweet 1



Gratidão, esse foi o principal sentimento emitido por aqueles que ontem estiveram em Monteiro, na Paraíba, para recepcionar Lula, Dilma e convidados na inauguração popular da transposição das águas do Rio São Francisco. Uma multidão originaria de diversos estados brasileiros formada por homens e mulheres, crianças, adultos, idosos, animados com a festa das águas no dia de São José. A cor vermelha era a que majoritariamente vestia a multidão. Camisetas com o rosto de Lula e Dilma eram incontáveis. As mensagens a Dilma eram agradecimento, a Lula somava-se o desejo de vê-lo de volta a presidência da republica em 2018.

Lula chegou no local da transposição por volta das 13h30, mas a movimentação na região era sentida desde as primeiras horas. Era possível testemunhar nos canais da transposição espalhados por Sertania (PE) e Monteiro (PB) a visitação de pessoas admiradas com a magnitude da obra. No açude, local para onde Lula iria, a aglomeração também se iniciou nas primeiras horas do domingo.

As pessoas expressaram gratidão a Lula e Dilma mas a alegria era outro sentimento expresso em todos. Em alguns era tanta que o banho nas águas do São Francisco era a melhor forma de mostrar isso. O clima em Monteiro não fugiu as características nordestinas - um sol para amorenar os presentes. Mas com as bençãos do liquido sagrado e na expectativa de receber Lula, quem reclamaria do calor ou de algo?

Enquanto Lula não chegava a irreverencia se fazia presente. Manifestantes comparavam a presença de gente naquela ocasião com a visita que Michel Temer faz, na mesma Paraíba. Como no evento que receberia Lula tinha uma quantidade de gente incomparável, logo se justificava: “mas e porque aqui Lula tá pagando 100,00 para cada um dos presentes e ainda tem o pão com mortadela”.

Foto: Ricardo Stuckert

O sol esquentava, chegava gente a todo momento, a Policia Militar da Paraíba ia cuidando da segurança e a aglomeração ia crescendo. Este blogueiro testemunho num espaço de quatro horas . Pessoas desmaiadas e lavadas para as ambulâncias espalhadas pelo local do evento. Enquanto Lula não chegava, qualquer coisa era motivo para celebração. Se um “drone” sobrevoasse o local logo os manifestantes puxavam uma palavra de ordem. Ou um “fora Temer” ou um “olê, olê, ola Lula, Lula -la”.

Mas as pessoas não agradeciam apenas a transposição das águas. Pelas falas, via-se o reconhecimento por todo o governo de Lula e Dilma. Do bolsa-família, a criação dos Institutos Federais de Educação; do Minha Casa, Minha Vida ao Luz para Todos, e muitos outras ações, programas e obras dos dois presidentes petitas eram constantemente lembrados pelos presentes.

Por volta das 13h30, Lula chegou ao local da transposição. Mas a chegada de Lula não pode ser descrita como a de um politico. A melhor comparação e a de um astro da musica pop. Não há sistema de segurança que resista. As pessoas querem tocar em Lula e a moda do momento, uma self. Difícil (impossível) e tira-la. Lula não banhou nas águas do São Francisco conforme era sua vontade, pela quantidade de gente, mas cumprimentou quem foi possível e como sempre quebrou os protocolos de segurança e deixou o local pelo meio do povo, para a alegria dos presentes e desespero dos seguranças.

Na praça de Monteiro um comício não exaustivo. Poucas e rápidas falas e Chico Cesar emocionando a todos cantando suas caçoes e finalizando com a obra de Geraldo Vandré, “Caminhando e Cantando” para a emoção da praça e com o acompanhamento de todas as vozes presentes. Dilma usou a melhor figura de imagem de todos dizendo que as águas do São Francisco lavavam a alma de todos ali presentes.

Exercendo sua oratória de melhores dias Lula detalhou muitas historias. Lembrou que quem primeiro lhe falou da Transnordestina e da transposição das águas do São Francisco, foi Miguel Arraes, em 1989, quando ele disputava o segundo turno presidencial contra Collor de Mello. O ex-governador de Pernambuco disse a Lula: - quando você for presidente do Brasil não deixe de fazer estas duas obras fundamentais para os nordestinos. Agradeceu também a Ciro Gomes – responsável direto pelas obras da transposição – pelo eficaz trabalho e pelas inúmeras brigas que comprou para que a obra se concretizasse.

Lula, se mostrou preparado e com disposição para a guerra politica e eleitoral de se desenha para os próximos anos. A República do Paraná, a mídia, o Judiciário podem até condenar Lula, mas já há uma certeza: milhões de outras pessoas terão que ser condenadas juntas.

Como disse Ricardo Coutinho, governador da Paraíba, transpor as águas de um rio para outro local, foi um ato importante de Lula. Isso ira salvar vidas e impulsionar um novo modo de vida no nordeste brasileiro. Mas o povo da região não agradece somente pela água. Agradece , principalmente, pelo conjunto da politica de Lula que mostrou aos nordestinos o gosto da libertação, da independência de um, povo. Por isso, a gratidão e eterna.