O petróleo é deles · 19/10/2018 - 17h16

"O Brasil não vai se tornar uma Venezuela", o que está por traz do mantra dos bolsonaristas ?


Compartilhar Tweet 1



 

Estamos vivendo a eleição para presidente do Brasil. Daqui a pouco mais de uma semana os brasileiros vão conhecer entre Bolsonaro e Haddad, seu próximo mandatário.

Mas é a Venezuela, um dos temas mais presentes nesta eleição. A propaganda de televisão de Bolsonaro e as mensagens de whats app do candidato insistentemente trazem o tema à discussão. Sua militância sai a repetir o mantra de que 'o Brasil não se tornará uma Venezuela'.

O jornalista Luiz Carlos Azenha, em seu blog Viomundo, chama a atenção para este aspecto da campanha. Veja o que ele diz:

"A fixação de Bolsonaro com a Venezuela obedece a vários objetivos: oferecer o Brasil como plataforma de lançamento terrestre para os Estados Unidos rumo ao óleo da bacia do Orinoco; fixar a ofensiva diplomática no eixo Bogotá-Brasília; da ao fascista um inimigo externo.

O inimigo externo é essencial para todo regime fascista.

Assim, Bolsonaro pode atacar os inimigos internos como traidores da Pátria, associados a interesses estrangeiros.

Fica mais fácil entregar o pré-sal a “aliados” se a Pátria “corre risco” de ser contaminada pela Venezuela.

Portanto, quem pensa que essa ofensiva contra a Venezuela na campanha é coisa de estúpido, para tirar proveito de eleitores mal informados, é muito mais que isso.

No Brasil joga-se o xadrez geopolítico, com óbvios interesses de longo prazo de Washington.

Considerando que o principal objetivo da derrubada de Dilma Roussef, depois de ser espionada pela NSA, foi se apossar do pré-sal, a instalação de Bolsonaro como peão contra a Venezuela, em busca da maior reserva do planeta, na bacia do Orinoco, é a continuação natural do jogo.

Dizem que o petróleo da bacia do Orinoco, por ser pesado, não presta. Também diziam que o pré-sal não prestava, lembram-se? Agora, que está na mão das multinacionais, vale ouro!

Lembrando que é política de Estado dos norte-americanos, que independe do governo de turno, reduzir a dependência do país do petróleo do Oriente Médio, alcançando reservas mais próximas e mais fáceis de proteger militarmente — é só olhar o mapa para entender."

 

Relatório divulgado pela United States Geological Survey (USGS) - o departamento de geologia do governo americano - sinalizou com a possibilidade de a Venezuela tornar-se a detentora da maior reserva de petróleo do mundo. Relatório divulgado pelo instituto em sua página na Internet, comenta a área da Bacia do Orinoco, apontando a perspectiva de existirem no local 513 bilhões de barris de petróleo pesado tecnicamente recuperáveis."
 


Comentários