Campanha do Dia dos Pais · 29/07/2020 - 14h06 | Última atualização em 29/07/2020 - 14h19

Piauiense vai acionar Sila Malafaia na Justiça por ofensas transfóbicas contra Thammy


Compartilhar Tweet 1



O ativista LGBTI+ Agripino Magalhães, juntamente com Toni Reis, presidente Nacional da Aliança Nacional LGBTI+, vai acionar a Justiça nessa quinta-feira (30/07), com uma ação criminal contra o Pastor Silas Mafaia, em virtude da sua conduta em relação as ofensas transfóbicas contra o homem trans,  Thammy Miranda e a população LGBTI+ do Brasil.

"Não podemos mais tolerar tanta incitação de ódio contra nós LGBTI+. Hoje em dia temos leis, que garante a   gente levar na justiça todos aqueles que nos descrimina e incita o ódio. Não boicote a Natura! Boicote seu amigo que não paga pensão, que não registra os filhos, que bate na esposa...Aproveite e compra um perfume na revendedora mais próxima, pois muitas/muitos se sustentam com suas vendas", defendeu o ativista de São João do Piauí.

    Arquivo pessoal

Nessa terça-feira (28/07), o pastor Silas Malafaia pediu aos seus seguidores que boicotem produtos da Natura. A polêmica começou depois que a marca de cosméticos divulgou uma campanha de Dias dos Pais com Thammy Miranda, ao lado da esposa e do filho.

“Vamos boicotar a Natura! Coloca uma mulher para fazer papel de homem no dia dos pais. Uma afronta aos valores cristãos. Somos a maioria!”, comentou o pastor em sua página no Instagram.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Vamos boicotar a Natura! ⠀

Uma publicação compartilhada por Silas Malafaia (@silasmalafaia) em

O pai de Bento e a Natura vêm sofrendo inúmeros ataques transfóbicos e preconceituosos nas redes sociais. "Amor, respeito, afeto e coragem são coisas que precisamos para enfrentar a vida", publicou Thammy.

Caso contra Neymar

O Ministério Público de São Paulo arquivou o pedido de inquérito feito por uma associação LGBTQ+ contra o jogador de futebol Neymar Jr., após supostos comentários homofóbicos feitos contra o então namorado de sua mãe, Tiago Ramos, 36. 

O ativista Agripino Magalhães foi quem pediu de apuração e abertura de inquérito após o vazamento de áudios em que o atacante do PSG conversa com dois amigos e usa o termo “viadinho” para falar sobre o modelo.


Comentários