Desagrada entidades médicas · 24/05/2022 - 15h07

Lei que garante presença de doula em parto é questionada pelo CRM-PI


Compartilhar Tweet 1



PITV1-Em março deste ano a Assembleia Legislativa do Piauí aprovou uma lei que trata dos direitos das gestantes que garante a presença de doulas, mas o texto da lei desagradou entidades médicas. Os profissionais alegam que houve limitação da autonomia deles e que a segurança da mãe e do recém nascido podem ficar comprometidas.

A doula é uma profissional que tem como responsabilidade o acompanhamento da gestante durante todo o período de gravidez, parto e pós-parto, além de apoiar, encorajar, oferecer conforto  e suporte emocional.

    Reprodução

“Essa lei é muito importante, ela traz muitos avanços, então solicitar a revogação total da lei é solicitar a revogação dos direitos das mulheres”, comenta a doula Helflida Esperança.

Mas a forma que o texto da lei foi feito desagrada às entidades médicas. Os obstetras acreditam que não foi levada em consideração a autonomia dos médicos e a segurança da paciente e recém-nascido por isso eles pedem a revogação total da lei.

    Reprodução

“Lá é fomentado um termo que é totalmente contra-indicado que é o termo violência obstétrica. Usar este termo afasta os obstetras, o termo é pejorativo como se o obstetra fosse os responsáveis pela violência.  No Brasil não temos a mínima estrutura para isso, portanto nós queremos a revogação integral da lei”, comenta a conselheira do CRM-PI, Lia Cruz Damásio.

 

PostMídia (99) 8175-5041

Comentários