Transbordam os limites da sala · 30/11/2021 - 15h16

Egresso recebe Comenda da universidade da Flórida e dedica conquista à professora da UESPI


Compartilhar Tweet 1



A relação de professor e aluno pode ir muito além do ato de ensinar. Mesmo após a finalização do curso, a humanidade e o respeito transbordam os limites da sala de aula.

Um exemplo disso é o caso do egresso da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Estélio Barbosa, com a professora lotada no Centro de Ciências da Educação, Comunicação e Artes (CCECA), campus Poeta Torquato Neto, Conceição de Maria Carvalho.

No dia 11 de dezembro, Estélio vai receber o título honorífico de comendador máximo planudes, da Universidade Unilogos da Flórida – Estados Unidos.

Ele decidiu dedicar a medalha a professora que o incentivou a ingressar no meio científico. “Foi durante uma disciplina dela que comecei a gostar de escrever e pesquisar. Foi com ajuda da professora Conceição que passei a me dedicar as publicações de artigos. A Uespi de fato foi quem me levou a ser apaixonado por pesquisas”, disse o ex-aluno.

Professora Conceição e Estélio durante a orientação de um trabalho

A relação entre o egresso Estélio e a professora Conceição

Tudo começou em 2002, durante a disciplina de Metodologia da Pesquisa, do curso de Educação Especial, ministrada pela professora Conceição de Maria Carvalho.

Aula da professora Conceição no campus Poeta Torquato Neto

Era uma época difícil, Estélio tinha acabado de perder seu pai e, posteriormente, sua mãe. Foi então que o aspecto humano falou mais alto e a docente passou a ajudar o então estudante.

“Eu lembro do Estélio, era um rapaz simples. A primeira vez que nos encontramos ele estava triste quando entrou na sala de aula, pois uma semana antes seu pai tinha falecido nos braços dele. O Estélio tinha dificuldades em acompanhar a disciplina. Teve uma vez que ele chegou até a minha pessoa pedindo que lhe explicasse com detalhe o projeto, me falou de suas dificuldades por conta do que ocorreu com o pai. A turma era enorme, disse para ele que ao terminar a aula do dia sentaria com ele para explicar, debaixo das mangueiras da UESPI, e que ele não se preocupasse se ficasse tarde demais que eu mandaria um moto táxi deixá-lo em casa. Ele morava em Timon, com poucas condições. E assim fizemos”, relembra a professora.

O gesto de compaixão deu ânimo ao estudante e fez a relação entre os dois ficar mais forte. Emocionado, Estélio lembra dos problemas que conseguiu enfrentar com ajuda da professora.

“Conheci a professora Conceição no período que perdi meu pai e logo depois minha mãe. Ela sempre esteve do meu lado incentivando meus estudos. Na época, a minha condição financeira era baixa. Foi então que Profª Conceição comprou e me deu de presente meu primeiro computador. Nunca vou esquecer disso. Ela sempre me ajudou com seus ricos conhecimentos no ramo da pesquisa, nas despesas da minha segunda graduação em pedagogia em 2009, entre outras situações. Ela é uma professora por excelência, que educa e ensina com o coração”, agradece Estélio

Evento da Federação Internacional de Educação Física, ocorrido na Uespi, em 2005 (professora e aluno à esquerda da foto)

Com o sucesso do primeiro trabalho, os dois começaram a escrever artigos, que renderam viagens e apresentações em várias partes do Brasil. Agora, com a vida estabilizada, o professor Estélio retribui todo carinho recebido pela professora e também pelo acolhimento da UESPI, com a dedicatória da medalha de Comendador Máximo, da Unilogos.

“A importância desse título é incalculável. Trata-se de uma honra muito nobre que eu nunca imaginei receber. Essa premiação é dedicada a pessoas que se destacam pelos benefícios a pesquisa, o ensino e a extensão através das ações em contribuição a sociedade. Sou eternamente grato aos professores da UESPI que sempre me ensinaram com dedicação, a exemplo da professora Conceição e também da professora já aposentada Regina Teles”, agradece.

Para a professora Conceição, essa conquista representa a qualidade do ensino ofertado na Uespi. “Esse feito representa o que eu penso do meu ofício. Meu ofício é ensinar, é contribuir de forma científica, mas ensinar com amor e afeto. Aí estar a minha semente jogada ao chão. Semente essa que cresceu e estar dando resultado na Universidade da Flórida, que lhe concede o Título de Comendador. Estar aí a semente da UESPI, dos professores uespianos, pois nosso corpo docente é de uma competência incomparável”, destaca.

Congresso Internacional em Foz do Iguaçu (professora e aluno à direita da foto)

A premiação

Por conta da pandemia, a premiação vai ocorrer de forma online, no dia 11 de dezembro, às 16h, no canal do YouTube da Universidade Unilogos.

A solenidade será proferida pelo reitor da Unilogos, que outorga o grau de comendador e a apresentação dos títulos honoríficos, como também as medalhas que serão despachadas pelos sistemas de correios internacionais até a residência do candidato.


Fonte: UESPI

Comentários