Na Zona Sul de Teresina · 20/01/2022 - 12h33

Centro de Reinserção Social qualificará egressos de comunidades terapêuticas


Compartilhar Tweet 1



O governador Wellington Dias inaugurou, nesta quinta-feira (20/01), o Centro de Reinserção Social Padre Pedro Balzi, que irá qualificar dependentes químicos egressos de comunidades terapêuticas e seus familiares para o mercado de trabalho. O Centro fica localizado no bairro Vermelha, zona Sul da capital. Além de Teresina, Bom Jesus, Floriano, São João do Piauí e Parnaíba também contarão com um “Retomando o Caminho”.

Inicialmente, serão cerca de 480 vagas para egressos e 1.500 para familiares por todo o Estado. Serão ofertados nos Centros de Reinserção cursos como: Energia Fotovoltaica, Marcenaria, Eletrônica, Eletricista, Doces e Salgados e Corte e Costura. O espaço também terá oficinas de formação pessoal com abordagem sobre o meio ambiente, empreendedorismo, postura, dentre outros. O local ainda contará com acompanhamento por profissionais da assistência social, psicologia e pedagogia.

Os inscritos nos cursos também contarão com o Cartão PRO Social, programa de transferência de renda, como apoio para a busca no mercado de trabalho. “Que todos possam colaborar com esse belo trabalho por todo o Estado e abram as portas para essas pessoas que tentam e querem muito uma nova oportunidade. Atualmente, no Piauí temos 52 entidades credenciadas, é a maior rede do Brasil. O Estado coloca um valor mensal por cada uma das pessoas acolhidas e, a partir daí, temos uma meta, uma rotina, uma grade de trabalho, geralmente com terapias ocupacionais e diálogo com a família. Hoje, mais de 50 mil pessoas já estão há mais de dois anos sóbrias, cerca de 40% já inseridos no mercado de trabalho, o que significa que temos tido bons resultados e que todo o esforço para a reinserção social é válida”, afirmou o governador Wellington Dias.

Parcerias com a Coordenadoria de Enfrentamento às Drogas (Cendrogas), Secretaria de Estado da Assistência Social (Sasc) e Secretaria de Estado da Educação (Seduc) foram firmadas para a oferta de todas as ferramentas necessárias para a qualificação dos dependentes. “A capacitação permitirá que eles deixem o seu passado enterrado para enfrentar o mercado de trabalho de cabeça erguida. O centro é um sonho que apresentamos ao Governador e ele abraçou. O Piauí é pioneiro na questão das políticas de reinserção, tratamos bem do dependente químico, mas faltava o suporte após a sua saída da comunidade terapêutica. Com o Centro, eles poderão, de fato, ser reinseridos na sociedade, tendo uma rotina de trabalho e compromissos como qualquer cidadão livre das drogas”, disse o coordenador da Fazenda da Paz, Célio Barbosa.

Também foram firmadas parcerias com empresas para o encaminhamento das pessoas qualificadas. Cerca de 160 empresas já estão cadastradas. “É um trabalho em rede, instituições públicas e privadas estarão ofertando essa oportunidade aos egressos e familiares por todo o Estado para que possamos alcançar cada vez mais pessoas. Aqui é uma extensão do tratamento, onde essas pessoas terão a oportunidade de se qualificar. Abraçamos mais uma parceria, dessa vez de forma diferenciada, e certamente iremos colher bons frutos”, pontuou a coordenadora da Cendrogas, Cida Santiago.

Depoimentos de egressos da Fazenda da Paz

Durante a solenidade de inauguração do Centro de Reinserção Social Padre Pedro Balzi, egressos da Fazenda da Paz deram depoimentos contando a sua trajetória de superação ao mundo das drogas.

Uma delas foi Ranilce Nascimento, que hoje trabalha na Coordenadoria de Estado de Política para as Mulheres. “Meu conflito começou quando fui rejeitada por meus pais biológicos, o que me fez sucumbir no mundo das drogas, até que, quando me vi em desespero, alguém me falou sobre a fé. Acredito que tudo tem um propósito e movida por essa fé fui acolhida, conheci a Fazenda da Paz e por meio das reuniões aprendi muito, cresci espiritualmente, consegui ficar sóbria e por meio de um projeto parecido com esse consegui a reinserção ao trabalho. Hoje, trabalho em órgão público e lá tenho uma família. Eu, em nome de todos os que já se afundaram em drogas, agradeço. A qualificação é algo vital e estou certa de que, assim como foi edificante na minha vida, será na de muitas outras”, contou.

Já Messias Antônio deixou a Fazenda da Paz há quatro anos e também encontra-se empregado. “Estou no mercado de trabalho há três anos. Para mim foi difícil, mas por meio da Fazenda da Paz, eu consegui. Após o tratamento fiz diversos cursos, consegui adquirir a minha casa, terminar o ensino médio e agora vou partir para o Enem, quero ter uma formação superior. Passei 30 anos nas drogas e não consegui nada e apenas em quatro anos sóbrio consegui construir muita coisa. Espero que todos daqui não desistam, pois vale muito a pena. Esse Centro de Reinserção é mais um passo para a salvação dos dependentes químicos do estado”, concluiu.


Fonte: Governo do Piauí

Comentários