Frio extremo -

Alpinista desaparecido há 22 anos no Peru é encontrado mumificado em montanha

O corpo de um alpinista americano, desaparecido há 22 anos enquanto escalava uma montanha nevada de mais de 6.700 metros no Peru, foi encontrado mumificado e com suas vestimentas em bom estado, informou a polícia nesta segunda-feira (8).

Foto: Reprodução

O americano William Stampfl, de origem eslovena, foi reportado como desaparecido em junho de 2002, quando uma avalanche o sepultou no Huascarán, uma montanha de 6.757 metros na região de Áncash, cerca de 400 km ao norte de Lima.

A descoberta foi possível devido ao derretimento das geleiras, consequência das mudanças climáticas, que expôs o corpo ao ar livre.

Stampfl estava vestido com suas roupas de escalada, arnês e botas, todos bem conservados, conforme mostram as imagens divulgadas pela polícia. Ele foi identificado graças ao passaporte americano encontrado entre suas roupas. Stampfl tinha 59 anos na época do acidente.

As condições de frio extremo do Huascarán, que podem chegar a -19°C durante a noite, permitiram a conservação do corpo desde 2002.

Segundo o relatório da polícia, os socorristas encontraram o corpo a uma altitude de 5.200 metros, próximo ao acampamento base um do Huascarán, uma área caracterizada por fendas e considerada perigosa.

O corpo foi levado para o necrotério da cidade de Yungay.

Em junho, também foi encontrado o corpo de um escalador italiano que sofreu um acidente ao tentar uma escalada no nevado Cashan, com 5.716 metros de altura.

A Cordilheira Branca, conhecida pela cadeia montanhosa no nordeste do Peru, abriga montanhas como o Huascarán e o Cashan, e é uma área turística frequentada por alpinistas de todo o mundo.

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco