Reunião com o MP-PI · 13/12/2017 - 17h39 | Última atualização em 13/12/2017 - 17h43

'Kalor Produçõe's terá que seguir TAC para realizar o Euphoria Barramares


Compartilhar Tweet 1



A 32ª Promotoria de Justiça de Teresina, com atuação na defesa dos direitos do consumidor, firmou um termo de ajustamento de conduta com a empresa Kalor Produções, organizadora do evento Carnaval Euphoria Barramares 2018. No total, o documento possui nove cláusulas e foi assinado em audiência realizada na sede do Ministério Público do Estado do Piauí (MPPI), localizada na zona leste de Teresina.

Por meio das duas primeiras cláusulas do TAC, a organizadora do evento compromete-se a assegurar a estudantes, professores, jovens carentes, idosos e pessoas com deficiência e acompanhantes destes a possibilidade de aquisição de ingressos pagando meia-entrada, mediante comprovação da condição.

A Kalor Produções ainda deverá disponibilizar aos consumidores informações claras, precisas e corretas sobre os serviços oferecidos no evento, além da informar aos consumidores os reajustes de preço que os ingressos possam sofrer até o dia do evento. A empresa responderá pelos vícios de qualidade e quantidade e decorrentes de produtos e serviços, garantindo aos consumidores o abatimento ou a restrição imediata da quantia paga, com devida atualização monetária.

Por fim, ficou acertado que o descumprimento da injustificado de qualquer uma das obrigações importará na aplicação de multa cominatória no valor de R$ 10 mil reais.


Fonte: MP-PI

Compartilhar Tweet 1



O empresário Daniel Lima, proprietário da empresa de ônibus Princesa do Sul, morreu na manhã desta quarta-feira (13/12), após sofrer um infarto fulminante.

Daniel tinha 36 anos e também era proprietários das empresas  Transpiauí, Translima e Expresso Floriano, atuando principalmente no Sul do estado.

O corpo do empresário é velado na funerária Pax União, na avenida Miguel Rosa.

Amigos e familiares lamentaram a morte de Daniel, entre eles o secretário de Transportes do Piauí, Guilhermano Pires. "Em nome da Setrans e de seus funcionários, prestamos nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames aos familiares, amigos e todos os que fazem o transporte intermunicipal de passageiros do Piauí", postou em nota.

Daniel Lima era casado e deixa duas filhas pequenas.

Até 120 meteoros por hora · 13/12/2017 - 17h00 | Última atualização em 13/12/2017 - 17h20

Chuva intensa de meteoros terá pico na madrugada de quinta-feira (14)


Compartilhar Tweet 1



A chuva de meteoros Geminídeos – uma das mais intensas e brilhantes do ano – vai ocorrer durante a noite desta quarta-feira (13/12) e a madrugada de quinta-feira (14/12) e poderá ser observada de todo o país, com visão mais privilegiada para quem estiver nas regiões Norte e Nordeste. O Calendário de Chuvas de Meteoros da Organização Meteorológica Internacional informa que o pico do fenômeno será na madrugada desta quinta-feira (14/12). A expectativa é que possam ser vistos até 120 meteoros por hora.

O fenômeno ocorre todos os anos no mês de dezembro, quando a Terra passa pelo rastro empoeirado de detritos rochosos deixado por um objeto chamado 3200 Faetonte. Quando o pó e os grãos deixados pelo Faetonte encontram com a atmosfera da Terra a 126 mil km por hora e explodem, formando uma chuva de “estrelas cadentes”. A área do céu onde os meteoros vão surgir, chamada de radiante, está localizada na direção da constelação de Gêmeos, perto da estrela brilhante Castor ou alfa Geminorum.

A Organização Internacional de Meteoros informou que este ano o fenômeno poderá ser melhor observado devido ao fato de a lua estar minguante, deixando o céu mais escuro que no ano passado, quando a lua estava cheia. Os Geminídeos poderão ser vistos a olho nu até o dia 17 de dezembro. A recomendação é que as pessoas observem o céu a partir de locais escuros, de preferência longe da luminosidade das cidades.

Asteróide atípico

A natureza do 3200 Faetonte é muito debatida entre especialistas, por ser um asteróide com características incomuns, que indica ter sido um cometa no passado. Geralmente, as chuvas de meteoros são causadas pela desintegração de cometas ao se aproximarem do Sol, e não de asteróides. "É um asteróide quase terrestre ou um cometa extinto, às vezes chamado de 'cometa rochoso'", disse Bill Cooke, do Escritório de Meteoroides da Agência Espacial Norte Americana (NASA), por meio de comunicado a imprensa.

A NASA informou também que os astrônomos terão a chance de estudar melhor o Faetonte este ano, quando o objeto vai passar o mais perto da Terra desde a sua descoberta em 1983. De acordo com a Organização Internacional de Meteoros, a chuva de meteoros do 3200 Faetonte é uma das únicas chuvas importantes produzidas por asteróides e não por um cometa.


Fonte: Agência Brasil
Faltam estrutura e 'educação' · 13/12/2017 - 15h37 | Última atualização em 13/12/2017 - 15h39

Teresina: pessoas com deficiência enfrentam 'armadilhas' para transitar pelo Centro


Compartilhar Tweet 1



Centro de Teresina
Centro de Teresina    Foto: Maelson Ventura/180graus

As festas de final de ano estão próximas e muitas pessoas buscam no Centro de Teresina o local ideal para fazer compras com valores mais acessíveis. Mas para as pessoas com deficiência física, andar pelas ruas do local é uma tarefa muito difícil. 

Com calçadas esburacadas, desníveis e até mesmo veículos nos locais destinados aos pedestres, às pessoas com deficiências encontram muitas dificuldades em transitar pelo Centro da capital, que apesar de várias intervenções para mudar esta realidade, ainda é uma verdadeira armadilha.

Carros parados nas calçadas do centro de Teresina
Carros parados nas calçadas do centro de Teresina    Foto: Maelson Ventura/180graus
Calçadas quebradas do centro de Teresina
Calçadas quebradas do centro de Teresina    Foto: Maelson Ventura/180graus

Segundo Raimundo, de 37 anos, que é deficiente visual, os buracos nas calçadas são os principais problemas para se locomover no Centro de Teresina. Com uma bengala improvisada, ele afirma que consegue desviar dos objetos fixos, mas não dos buracos. “A gente vai passando e batendo a bengala e vai desviando das coisas”, disse.

    Foto: Emanuel Sousa/180graus

Além disso, ele também afirma que frequentemente constata a presença de veículos passando pelos ‘calçadões’. “Quando chega esse período do ano aqui fica cheio de carros passando por todos os lados, porque se é ‘calçadão’ é só para o povo andar”, afirma.

Dona Maria Pergentina é idosa e faz uso de muletas, para ela, a falta das rampas de acesso às calçadas é outro fator que dificulta sua locomoção pelo local. “Para mim é muito difícil subir essas calçadas por conta da falta das rampas, sem falar que as calçadas também possuem muito buracos e isso dificulta muito para a gente que tem deficiência”.

    Foto: Emanuel Sousa/180graus
    Foto: Emanuel Sousa/180graus

Ela também reclama da quantidade excessiva de carros que passam pelos calçadões. “Tem horas que os carros faltam passar por cima da gente e esse área ai, que disseram que não seriam movimentada por carros, mas eles passam em grande velocidade e a gente tem muito medo”, concluiu.

Saiba mais detalhes! · 13/12/2017 - 14h42 | Última atualização em 13/12/2017 - 14h55

Netflix se defende após publicar mensagem polêmica nas redes sociais


Compartilhar Tweet 1



Já imaginou a quantidade de informações pessoais que gigantes como Google, Facebook e Microsoft têm sobre você? O assunto polêmico costuma levantar diversas discussões dentro e fora da internet, principalmente a respeito do destino que as companhias dão aos dados privados de seus clientes. E a mais nova empresa a entrar no debate foi a Netflix, que precisou se explicar após expor alguns de seus assinantes no Twitter, na última segunda-feira, 11.

 

Na publicação, a página americana da plataforma de streaming disse: "Às 53 pessoas que assistiram 'O Príncipe do Natal' todos os dias nos últimos 18 dias: Quem machucou vocês?". Entendida por alguns seguidores como piada, a mensagem foi considerada ofensiva por boa parte deles, que logo iniciaram questionamentos sobre quem tem acesso a informações tão privilegiadas dos clientes, a ponto de serem publicadas na rede social. A Netflix US coleciona quase cinco milhões de seguidores no Twitter.

Trevor Timm, diretor executivo da Freedom of the Press Foundation (Fundação da Liberdade de Imprensa, em tradução livre), foi um dos primeiros a responder o post levantando perguntas, entre elas: "Quantos empregados têm acesso ao hábito de visualização das pessoas? Existe algum tipo de controle sobre como eles podem acessá-lo ou em que ele pode ser usado? Por que eles estão publicamente evergonhando clientes?".

Logo depois da chuva de respostas, a Netflix lançou uma nota oficial se explicando e negando compartilhar tão facilmente dados individuais (via EW).“A privacidade de visualização dos nossos clientes é importante para nós. Essa informação representra dados gerais da tendência de consumo, não informações pessoais específicas de indivíduos identificados", disse. Vale lembrar que a produtora de Stranger Things e House of Cards também falou publicamente sobre um seguidor que teria assistido 357 vezes a animação Bee Movie em 2017.

A empresa revelou recentemente que transmite mais de um bilhão de horas ao seus clientes por semana, além de anunciar que pretende aumentar para US$ 8 bilhões o investimento em conteúdo em 2018 - superando os US$ 6 bilhões do ano passado.


Fonte: Adoro Cinema
Todas unidades informatizadas · 13/12/2017 - 14h10 | Última atualização em 13/12/2017 - 14h17

Unidades básicas de saúde pelo País receberão recursos para informatização


Compartilhar Tweet 1



Para melhorar a qualidade dos serviços prestados à população, reduzir gastos e dar maior segurança aos dados dos pacientes, todas as unidades básicas do Sistema Único de Saúde (SUS) serão informatizadas. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, nessa terça-feira (12/12).

A proposta da pasta é colaborar para que as prefeituras possam informatizar, em um ano, cerca de 40 mil unidades de saúde. O Ministério da Saúde lançou o edital para adesão dos municípios ao programa de informatização, em 8 de novembro. Serão cadastradas empresas, por todo o País, aptas a oferecer suporte necessário à implantação de prontuário eletrônico.

“Os prefeitos poderão escolher uma empresa para instalar, no município, os tablets, computadores e a conectividade; qualificar os servidores e implementar a biometria de pacientes e dos servidores”, afirmou Barros.

O ministro acrescentou que os dados dos pacientes poderão ser acessados pelo celular. Por lá, os pacientes também poderão cancelar consultas, se for o caso.

Repasse

Serão destinados de R$ 4 mil a R$ 7 mil às prefeituras para os trabalhos de informatização. Metade dos valores poderá ser solicitada pelos municípios já informatizados para manutenção dos serviços. 


Fonte: Portal Brasil
Desde assistências à prevenção · 13/12/2017 - 14h01 | Última atualização em 13/12/2017 - 14h09

Defesa Civil de Teresina presta atendimento a mais de duas mil pessoas


Compartilhar Tweet 1



A Defesa Civil Municipal de Teresina divulgou o relatório das ações prestadas em 2017. Em números gerais, mais de duas mil pessoas foram atendidas em ações que vão desde a assistência à prevenção de calamidades. A Defesa Civil tem como função atuar em ações preventivas, de socorro, assistenciais e reconstrutivas, com o intuito de evitar ou minimizar desastres, sejam eles de causa natural ou não.

Entre as ações de socorro, a Defesa Civil de Teresina atuou no Acampamento 8 de Março, acometido por um incêndio no dia 15 de outubro deste ano. Desde o dia da tragédia, a Defesa Civil esteve na região, prestando assistência aos moradores, com levantamento das perdas, quantidade de pessoas atingidas, assistência diária sobre prevenção a incêndios e distribuição de alimentos. Entre crianças, jovens, adultos e idosos, foi atendido um total de 478 pessoas na região. Em ação realizada na terça-feira (12/12), foram entregues 23 filtros de água aos moradores da área, em ação conjunta com a Vigilância Ambiental, da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Já as ações preventivas contemplaram quase mil pessoas, com a realização de palestras sobre danos e consequências das queimadas, bem como formas de controle e prevenção, instrução e treinamento. Iniciadas em agosto, foram realizadas oito palestras, em sua maioria, na zona rural, por conta das queimadas que acometeram a região no último ano. A ação também foi ofertada a Guarda Civil Municipal de Teresina, com treinamento/instrução sobre atendimento pré-hospitalar.

Outra ação preventiva foi o monitoramento de áreas de risco, em virtude das ocorrências das primeiras chuvas relativas ao período de inverno, na cidade de Teresina. Foram monitoradas algumas áreas nas zonas Norte, Sul, Leste, Sudeste e Rural Sudeste, atendendo um total de 294 pessoas. De janeiro a dezembro, outras ações de vistorias, atendimentos e socorro na cidade assistiram 636 pessoas.

“Com a divulgação dos dados, mostramos à população a função da Defesa Civil, que faz a assistência de prevenção a calamidades e também auxilia após o ocorrido. Com a aproximação do período chuvoso, por exemplo, já estamos fazendo treinamentos para prevenir as enchentes, que devem ocorrer nos próximos meses, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. E essa é a importância da Defesa Civil Municipal de Teresina: acompanhar, preparar e prevenir a comunidade”, conclui Marcos Rolf, membro da Defesa Civil.

A Defesa Civil Municipal de Teresina é vinculada à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

    Foto: AsCom/ Semcom

 


Fonte: AsCom/ Semcom

Compartilhar Tweet 1



Dados divulgados nesta quarta-feira (13/12) pelo Observatório das Migrações Internacionais (ObMigra), com o apoio do Conselho Nacional da Imigração (Cnig) e do Ministério do Trabalho, revelam que no ano passado o número de estrangeiros que alcançaram postos de trabalho formal no Brasil foi 13% menor que o registrado ao longo de 2015.

Além de afetar milhões de brasileiros que, em algum momento dos últimos anos, se viram sem emprego, a crise que o Brasil atravessa desde 2014 atingiu também a inserção dos estrangeiros no mercado, interrompendo, em 2016, a tendência positiva quanto à contratação de imigrantes, verificada entre 2010 e 2015.

O coordenador da pesquisa, Leonardo Cavalcanti, disse que os efeitos da crise demoraram mais a atingir os trabalhadores estrangeiros do que o conjunto dos brasileiros, devido à concentração dos imigrantes em setores cujos reflexos do desaquecimento da atividade econômica tardaram mais a ocorrer.

“Em 2015, enquanto os brasileiros sentiam os efeitos da forte crise econômica, os imigrantes continuaram com um saldo positivo de contratações. Já em 2016, eles passaram a ser mais afetados pela crise”, afirmou Cavalcanti, destacando que os dados relativos ao primeiro semestre deste ano apontam para uma possível melhora do quadro geral.

“Os dados do Caged [Cadastro Geral de Empregados e Desempregados] do primeiro semestre apontam para uma pequena recuperação, para mais admissões do que demissões de imigrantes. Resta fecharmos o ano para ver se a tendência vai se confirmar ou não”, ressaltou. Ele acrescentou que não há porque o brasileiro se preocupar com o fluxo imigratório. “Os imigrantes não vêm ao Brasil roubar empregos. Eles representam menos de 1% da população presente em todo o território brasileiro.”

Predominância masculina

Proporcionalmente, a maior redução verificada no ano passado ocorreu entre os homens, que são a maioria a vir de outros países em busca de trabalho. Enquanto, em 2015, 93.256 dos 127.166 imigrantes contratados formalmente pertenciam ao sexo masculino e 33.910 ao sexo feminino, em 2016, do total de 112.681 imigrantes contratados, 80.804 eram homens e 31.877 mulheres. Comparados os dois anos, a empregabilidade masculina variou -15,4%, enquanto a feminina, -6,3%.

Ainda assim, a pesquisadora do ObMigra, Délia Dutra, destaca que a predominância masculina chega a representar 72% da mão de obra estrangeira com vínculos formais de emprego no Brasil, enquanto imigrantes e refugiadas têm maior dificuldade de obter uma colocação.

Além de masculina, a maioria (59%) dos imigrantes absorvidos pelo mercado formal, em 2016, tinha entre 20 e 40 anos, é branca (42%) e havia completado apenas o ensino médio (34%), sendo seguida de perto pela parcela de imigrantes com ensino superior completo (30%).

No entanto, quando comparados os dados de 2016 e de 2010, chama a atenção o crescente número de pretos e pardos vindos para o Brasil em busca de trabalho, que subiu de 12%, em 2010, para 40% em 2015, caindo para 38% em 2016.

Considerado o mesmo período, também chama a atenção a mudança quanto ao grau de instrução: em 2010, a mão de obra estrangeira no Brasil era composta por 54% de pessoas com nível superior de ensino. Em 2015, esse grupo já tinha baixado para 32% do total. E, em 2016, caiu a 30%. Os dados, segundo os pesquisadores do ObMigra, sugerem que a partir de 2010 novo fluxo de imigrantes passou a procurar o Brasil. O que se reflete também nos postos de trabalho ocupados: em 2010, 41% da força de trabalho estrangeira formal se concentrava nos postos hierárquicos mais altos, como, por exemplo, diretores, gerentes e profissionais com nível superior. Já em 2016, 30% dos estrangeiros conseguiram trabalho em cargos mais simples, na produção de bens e serviços industriais.

Haitianos

Desde 2013, os haitianos ocupam o primeiro lugar entre os estrangeiros inseridos no mercado de trabalho formal brasileiro. No entanto, em 2016, a presença proporcional dos haitianos no setor formal caiu 30% em comparação a 2015. No total, 25. 782 haitianos conseguiram um emprego com carteira assinada no ano passado. Em 2015, os haitianos contratados chegou a 33.507. A variação negativa de quase 30% entre os dois anos foi a maior registrada entre as 21 nacionalidades com maior presença no mercado formal brasileiro.

Em números absolutos, a lista das dez nacionalidades mais comumente encontrada no setor formal em 2016 é completada pelos portugueses (8.844); paraguaios (7.737); argentinos (7.120); bolivianos (5.975); uruguaios (3.947); chilenos (3.565); bengalis (3.433); peruanos (3.195); chineses (2.983) e italianos (2.631).

Os venezuelanos, cujo recente aumento do fluxo migratório despertou a atenção, ocupam um modesto 19 lugar, atrás, por exemplo, de franceses, norte-americanos e alemães. Contudo, em 2016, foram justamente os imigrantes venezuelanos o grupo cuja representação no mercado de trabalho brasileiro mais cresceu proporcionalmente, aumentando 32% em comparação a 2015 e ficando atrás apenas do aumento proporcional, no período, da presença de angolanos (que cresceu 43%) e de senegaleses (42%).

Mesmo tendo contratado menos no ano passado do que em 2015, o estado de São Paulo continua sendo o maior empregador de estrangeiros formalizados, respondendo por 37% de todas as contratações do ano passado. Na sequência, vem Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.


Fonte: Agência Brasil
Às 9h no auditório da APPM · 13/12/2017 - 11h54 | Última atualização em 13/12/2017 - 12h05

PIB dos Municípios 2015 será divulgado nesta quinta-feira (14)


Compartilhar Tweet 1



A Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí - Fundação Cepro apresenta os resultados do Produto Interno Bruto dos municípios do Piauí para o ano de 2015, nesta quinta-feira (14/12), às 9h, no auditório da Associação Piauiense de Municípios (APPM).

Em parceria com o IBGE, a Fundação Cepro calcula o Produto Interno Bruto estadual do Piauí e o PIB dos 224 municípios do estado.

Segundo Manfredi Cerqueira Júnior, coordenador das Contas Regionais e Municipais da Fundação Cepro, o estudos feitos com os índices do PIB ajudam o estado no desenvolvimento de políticas públicas. “O PIB Municipal possibilita a construção permanente de indicadores econômicos que dão subsídios para o planejamento e a definição política de desenvolvimento”, ressaltou Manfredi.

O PIB representa a soma, em valores monetários, de todos os bens e serviços finais produzidos em cada município, durante o ano de 2015, e tem como principal objetivo mensurar a atividade econômica. Excluem-se, na contagem do PIB, todos os bens de consumo intermediários. Outro aspecto do estudo avalia a renda per capita municipal, que é o PIB dividido pela população.


Fonte: Portal do Governo do Piauí
'compromete a legitimidade' · 13/12/2017 - 11h20 | Última atualização em 13/12/2017 - 15h59

Diocesano faz esclarecimento sobre suas notas do Enem publicadas na Folha de S. Paulo


Compartilhar Tweet 1



Colégio São Francisco de Sales – Diocesano, de Teresina, através de nota ao 180 informou que houve um equívoco em dados sobre as melhores escolas do Piauí pelo Enem 2016 divulgados pela Folha de S. Paulo, confira:

O ranking do ENEM 2016, publicado pela Folha de S. Paulo, na edição do dia 12 de dezembro de 2017, apresenta um equívoco que compromete a legitimidade das informações divulgadas em relação ao Colégio São Francisco de Sales – Diocesano, por não considerar a quantidade correta de alunos matriculados na terceira série do ensino médio regular. Tal equívoco também fora registrado em publicação anterior da plataforma Sistema Evolucional, que a suspendeu de seu website pela verificação de inconsistências.

Por outro lado, a plataforma Módulo Enem, da Tuneduc, que também levanta o ranking do ENEM a partir dos mesmos microdados do INEP e considera a quantidade correta de alunos, publica em sua classificação os seguintes resultados do Colégio São Francisco de Sales – Diocesano:  Ciências da Natureza: 618,201; Ciências Humanas: 643,735; Linguagens: 616,052; Matemática: 707,542. Média da escola nas provas objetivas: 643,38. Média em Redação: 793,39. Compreendendo a inadequação da comparação entre diferentes, esses resultados põem o Colégio Diocesano em 9º lugar na classificação geral das escolas no estado do Piauí, e em 3º lugar, se comparado às escolas semelhantes, com mais de 90 alunos participantes no exame.

Expectativa para redução 0,25% · 13/12/2017 - 08h33 | Última atualização em 13/12/2017 - 08h39

BC sinaliza que pode fazer novo corte na taxa básica de juros em fevereiro


Compartilhar Tweet 1



A taxa básica de juros, a Selic, poderá voltar a ser reduzida em fevereiro de 2018. É o que sinalizou o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, em ata da última reunião, realizada na semana passada, quando a taxa chegou ao seu menor nível histórico: 7% ao ano. A expectativa de instituições financeiras é que essa taxa seja reduzida em 0,25 ponto percentual na próxima reunião do comitê, indo para 6,75% ao ano.

No documento, o Copom diz que seria “apropriado sinalizar” que poderá haver nova redução “moderada” na próxima reunião, “sob a perspectiva atual”. “Mas [os membros do Copom] avaliaram que cabia advertir que essa visão é mais suscetível a mudanças na evolução do cenário e seus riscos que nas reuniões anteriores”, diz a ata.

O Copom destacou que "houve consenso em manter liberdade de ação, mas sinalizar que o atual estágio do ciclo [de cortes na taxa básica] recomenda cautela na condução da política monetária [decisões sobre a Selic]".

Segundo o comitê, a continuidade da redução da Selic depende da evolução da atividade econômica e das expectativas de inflação.

O Copom também destacou que a aprovação da reforma da Previdência é fundamental para manter a inflação baixa.

“Todos os membros do comitê voltaram a enfatizar que a aprovação e a implementação das reformas, notadamente as de natureza fiscal, e de ajustes na economia brasileira, são fundamentais para a sustentabilidade do ambiente com inflação baixa e estável, para o funcionamento pleno da política monetária e para a redução da taxa de juros estrutural da economia, com amplos benefícios para a sociedade”, enfatizou.


Fonte: Agência Brasil
Seminário: Avaliação · 13/12/2017 - 08h29 | Última atualização em 13/12/2017 - 08h33

Semcaspi avalia atividades de 2017 e planeja ações para 2018


Compartilhar Tweet 1



Avaliar, propor melhorias e planejar. Essas foram as palavras que nortearam o Seminário de Avaliação e Planejamento – 2017/2018 da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). O encontro teve nessa terça-feira (12/12), no auditório da Ação Social Arquidiocesana (ASA), e encerra nesta quarta (13/12).

O seminário busca o aprimoramento da implementação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e das Políticas Integradas em Teresina. O encontro oportuniza um espaço para exposições e debates no âmbito do SUAS com abordagem sobre a avaliação e planejamento como ferramentas gerenciais de controle dos processos de trabalho realizados.

Visa ainda apontar resultados da avaliação dos serviços ofertados no âmbito da Semcaspi (gestão e provimentos), a partir das metas estabelecidas em 2017 com projeção para 2018, além de apresentar o Regimento Interno da Secretaria para os servidores. O encontro propõe o fortalecimento dos serviços socioassistenciais e das políticas integradas.

“Na oportunidade, também nós nos confraternizamos e reafirmamos nossos vínculos enquanto colaboradores, tanto das políticas de Assistência Social, quanto das Políticas Integradas, Direitos Humanos, Defesa Civil de Teresina e Guarda Municipal. O seminário tem o papel de trazer à tona tudo o que foi construído em 2017, mas já em planejamento para o ano que vem”, afirmou o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira.

O seminário tem como tema central “Avaliação e Planejamento de Políticas Públicas”, além de mesas redondas e temáticas. Cerca de 200 servidores devem participar do momento, que é também para o aperfeiçoamento dos processos de trabalho realizados em todos os níveis da gestão e proteção social.


Fonte: AsCom/ Semcom

Compartilhar Tweet 1



Um contrato foi firmado entre a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), onde as empresas, instituições, profissionais e pesquisadores ligados à indústria da construção civil poderão ter acesso a normas técnicas e tabelas aplicáveis à tecnologia Building Information Modeling (BIM), com 80% de desconto.

Com o Catálogo de Normas da ABDI-ABNT, o usuário irá pagar apenas 20% do valor da norma.  A parceria visa facilitar e ampliar o acesso das empresas e profissionais ao acervo de normas, agora com foco no BIM, que é uma nova tecnologia de modelagem virtual de componentes, elementos e sistemas, essencial para a de industrialização da construção.

Não é primeira vez que a ABNT e a ABDI firmam parceria para facilitar o acesso às normas técnicas. No biênio 2013/2014, foram disponibilizadas, em um portal, 48 normas aplicáveis à construção civil e outros setores, como Bens de Capital (BK), Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), além do BIM. Ao todo, foram registrados mais de 3 mil downloads das normas e cerca de 10 mil visualizações. Foram realizados 1,5 mil acessos às normas por usuários, beneficiando mais de 100 empresas e quase 1,5 mil pessoas físicas.

Para ter acesso ao Catálogo das Normas, basta acessar o site http://www.www.abntcatalogo.com.br/abdi, fazer o cadastro e efetuar o pagamento de apenas 20% do valor total do documento requerido. O Catálogo da ABDI-ABNT estará disponível por 18 meses, mesmo período de vigência do contrato.

BIM

O Building Information Modeling (BIM) é uma tecnologia de modelagem virtual parametrizada dos componentes e sistemas aplicados um uma edificação. Segundo o coordenador de Difusão Tecnológica da Agência, o BIM permite a acurácia do projeto, a redução de prazos e custos, simulações e correções prévias à construção. “Além disso, a modelagem virtual da construção promove maior transparência e controle de toda informação física, financeira e de desempenho do empreendimento em todo o seu ciclo de vida. É uma tecnologia essencial para elevar a produtividade do setor da construção civil”, ressaltou Claudionel Leite. 


Fonte: AsCom

Compartilhar Tweet 1



Os 8 mil profissionais brasileiros inscritos no novo edital do Mais Médicos têm até hoje (12) para escolher os municípios em que desejam atuar pelo programa.

Ao todo, 8.042 profissionais tiveram a inscrição validada e poderão disputar as 983 vagas em 512 municípios e um Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) disponíveis no atual edital. Os selecionados iniciarão as atividades em janeiro de 2018.

São 341 vagas no Nordeste, 253 no Sudeste, 167 no Sul, 125 na Região Norte e 97 em municípios do Centro-Oeste.

De acordo com o Ministério da Saúde, o lançamento de editais periódicos para médicos brasileiros visa a reposição e substituição de profissionais estrangeiros contratados por meio da cooperação com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). Além disso, estão sendo repostas as vagas oriundas de desistências e de encerramento de contratos.

 


Fonte: Agência Brasil
Corresponde a R$ 578 milhões · 12/12/2017 - 15h09

Receita destrói 3,4 mil toneladas de mercadorias apreendidas


Compartilhar Tweet 1



A Receita Federal vai destruir ao longo desta semana mais de 3,4 mil toneladas de mercadorias apreendidas. O total corresponde a R$ 578 milhões em autuações fiscais.

Em 58 unidades do órgão, estão sendo destruídos no 20º Mutirão Nacional de Destruição de Mercadorias Apreendidas produtos falsificados ou que não atendem às normas de vigilância sanitária e de defesa agropecuária. De acordo com a Receita, a maior parte dos resíduos será reciclada.

Entre os produtos destruídos estão Ds e DVD's piratas, cigarros, bebidas, cosméticos, medicamentos e alimentos impróprios para consumo ou utilização, produtos falsificados (vestuário, brinquedos, pilhas, isqueiros, relógios, agrotóxicos).

A Receita lembra que destruição é uma das modalidades de destinação de mercadorias apreendidas previstas no Decreto-Lei nº 1.455/1976.

Segundo o órgão, todo o procedimento de destruição está sistematizado na Portaria RFB nº 3.010/2011, e deve, sempre que possível, ser feito de forma a resultar em resíduos cuja reciclagem seja economicamente viável. “Esses resíduos podem ser destinados mediante leilão, incorporação a órgãos públicos ou doação a entidades beneficentes, mediante assinatura de termo de compromisso de que será utilizado em consonância com as normas ambientais”, diz a Receita.

Em 2013, com a publicação da Portaria RFB nº 1.443/2013, foi regulamentado o leilão de resíduos de mercadorias apreendidas antes de sua efetiva destruição, com repasse dos encargos ao arrematante. Desde a sua regulamentação, diz a Receita, já foram realizados 33 leilões desse tipo, gerando uma arrecadação superior a R$ 2,16 milhões.

(Com informações da Agência Brasil)

Diplomas médicos · 12/12/2017 - 14h41

Termina amanhã prazo de recurso do Revalida


Compartilhar Tweet 1



O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) abriu hoje (12/12) o prazo para apresentação de recurso ao resultado do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (Revalida) na prova de habilidades clínicas de 2016. Os recursos podem ser apresentados na Página do Participante do Revalida até as 18h de amanhã (13/12).

Na avaliação de habilidades clínicas, os participantes precisavam executar tarefas específicas, durante um intervalo de tempo determinado, em uma estrutura de dez estações, cada uma valendo dez pontos. Serão considerados aprovados os que obtiverem, no mínimo, 56 de 100 pontos.

O Revalida reconhece os diplomas de médicos que se formaram no exterior e querem atuar no Brasil e é direcionado tanto a estrangeiros formados em medicina fora do Brasil quanto a brasileiros que se graduaram em outro país e querem exercer a profissão em sua terra natal.


Fonte: Agência Brasil
22,4 milhões menos produção · 12/12/2017 - 14h00

IBGE estima queda de 9,2% na safra de cereais de 2018


Compartilhar Tweet 1



O Brasil país deverá ter, em 2018, uma safra de cereais, leguminosas e oleaginosas 9,2% menor do que a produção deste ano. O segundo prognóstico da safra de 2018, divulgado nesta terça-feira (12/12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Rio de Janeiro, prevê uma safra de 219,5 milhões de toneladas em 2018, 22,4 milhões a menos do que a produção esperada para 2017.

A queda prevista por esse segundo prognóstico é ainda maior do que a feita pela primeira estimativa, divulgada em novembro, que previa um recuo da safra de 8,9%.

Entre os cinco principais produtos para a próxima safra, três devem apresentar quedas na produção: arroz em casca (-8%), milho em grão (-15,9%) e soja em grão (-5,9%). São esperadas altas na produção de algodão herbáceo (4,5%) e de feijão em grão (4,1%).

Safra de 2017 será maior

O IBGE também divulgou hoje sua 11ª estimativa para a safra de cereais, leguminosas e oleaginosas de 2017, realizada em novembro. De acordo com o instituto, a safra deste ano deverá ser 0,1% maior do que a estimada pelo décimo levantamento, realizado em outubro.

Espera-se que o ano seja encerrado com uma safra 30,2% maior que a de 2016: 241,9 milhões de toneladas, ou 56,1 milhões de toneladas a mais do que no passado.

Entre as principais lavouras, a soja deverá fechar 2017 com uma alta de 19,4%, o arroz com um crescimento de 17,4% e o milho com aumento na produção de 55,2%.


Fonte: Agência Brasil

Compartilhar Tweet 1



Com mais de 80% dos serviços concluídos, o Centro de Iniciação ao Esporte (CIE), localizado na região do grande Vale do Gavião, zona Leste da cidade, vai incentivar a iniciação esportiva e integra, num só espaço físico, atividades e a prática de esportes de alto rendimento, estimulando a formação de atletas entre crianças e adolescentes. O empreendimento é fruto de um convênio com o Ministério do Esporte, com contrapartida da Prefeitura de Teresina, e tem custo total de R$ 3,9 milhões.

A engenheira civil e representante do Ministério do Esporte, Débora Mara Caldeira, tem acompanhando a evolução da obra. “Em Teresina a obra é uma das cinco que estão mais adiantadas no país e isso nos deixa muito satisfeitos, mas, ao mesmo tempo, nossa expectativa é aumentar a evolução da obra”, ressaltou.

De acordo com a Superintendência de Desenvolvimento Urbano Leste (SDU Leste), o complexo terá área total de 1.700 metros quadrados, contando com um planejamento para o uso do ginásio em várias modalidades esportivas, como futebol, tênis, handball e judô, com 184 assentos, sendo quatro destinados para cadeirantes.

“No momento, estamos retocando pintura, acabamentos da guarita e lixeiras, e fazendo o fechamento de algumas instalações. Agora está faltando colocar plataforma elevatória e equipamentos esportivos. O arremesso de peso já está quase 100%. Falta ainda a base de concreto que o atleta fica, pois a base depende de um anel metálico que já está vindo junto com equipamentos esportivos”, explicou o engenheiro fiscal da obra, José Alberto Guimarães.

O professor e mestre de capoeira Hildo Júnior Teles aguarda com expectativa a entrega do Centro. “Desenvolvemos um trabalho voluntário com mais de 40 alunos, todos moradores do grande Vale do Gavião. São crianças e adultos que escolheram o esporte como melhoria de vida. Logo, considero a obra do CIE importante para que esse trabalho não pare e assim possamos continuar mudando o futuro de muitos jovens”, contou o mestre.

Para o presidente da Associação de Moradores do Vale do Gavião, Mariano Júnior, o Centro vai trazer à região uma oportunidade para descobrir novos talentos olímpicos e paraolímpicos no Piauí, com o objetivo também de manter jovens e crianças ocupados, longe das drogas.

    Foto: AsCom

 


Fonte: AsCom/ Semcom
MP abriu um inquérito · 12/12/2017 - 10h55 | Última atualização em 12/12/2017 - 10h55

Igreja Universal é denunciada por tráfico de crianças


Compartilhar Tweet 1



A Igreja Universal do Reino de Deus se envolveu em um grande escândalo em Portugal após denuncia de uma suposta rede de adoção ilegal de crianças conduzida pela Igreja. A informação foi divulgada pelo Jornal TVI de Portugal.

 

Um documentário chamado 'Os Segredos dos Deuses' foi produzido com cerca de 10 episódios que mostram o resultados das investigações de cerca de 7 meses. Centenas de mães foram entrevistadas nesse período. 

 

O Ministério Público de Portugal abriu um inquérito sobre o caso. A denuncia veiculada nos meios de comunicação apontam que o esquema funciona há 20 anos e que crianças foram enviadas para várias partes do mundo para serem criadas e registradas como filhos biológicos por bispos e pastores. 

 

Em resposta a denuncia, a Igreja Universal declarou que o programa é coordenado por um ex-integrante da instituição que saiu por condutas impróprias. E que todas as crianças adotadas pela igreja foi pelo sistema legal de Portugal.

 

Confira a chamada sobre a denúncia exibida no Programa TVI em Portugal:

 

 

Resultado 13% maior já obtido · 12/12/2017 - 08h33 | Última atualização em 12/12/2017 - 08h40

Exportações do agronegócio atingem recorde até novembro


Compartilhar Tweet 1



Importante segmento para a economia, o agronegócio registrou mais um recorde neste ano. De janeiro a novembro, as exportações do setor somaram US$ 89 bilhões, resultado 13% maior que o obtido no mesmo período do ano passado. Os dados são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e foram divulgados nesta segunda-feira (11/12).

De acordo com a pasta, os números foram alcançados devido ao aumento nas vendas da soja em grão (+29%), do milho (+21,2%) e da celulose (+3,2%). No total, as exportações do agronegócio representaram 44,5% do saldo comercial da balança comercial brasileira até novembro de 2017.

Em novembro, as exportações do setor somaram pouco mais de R$ 7 bilhões, com maiores embarques de soja em grãos, milho, algodão e carne bovina in natura. No caso da soja, o agronegócio registrou um resultado recorde para meses de novembro, ao exportar 2,1 milhões de toneladas do produto. 

Com importante desempenho entre os indicadores da economia, a balança comercial tem tido comportamento recorde nos últimos meses. Em 2017, as projeções apontam para um resultado histórico: o saldo comercial brasileiro, que é a diferença entre exportações e importações, poderá chegar a US$ 70 bilhões, segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).


Fonte: Portal Brasil
Cenário econômico positivo · 12/12/2017 - 08h22 | Última atualização em 12/12/2017 - 08h27

Mercado espera PIB maior em 2017 e 2018, diz Banco Central


Compartilhar Tweet 1



Com um cenário econômico mais positivo, analistas das instituições financeiras passaram a projetar um crescimento mais forte da economia brasileira para este e para o próximo ano. Agora, a expectativa dos especialistas é de que o Produto Interno Bruto (PIB) avance 0,91% em 2017, ante estimativa anterior de 0,89%.

Para 2018, as projeções apontam para um crescimento de 2,62% da economia brasileira. Anteriormente, essa estimativa estava em 2,60%. Os números fazem parte do Boletim Focus, documento semanal elaborado pelo Banco Central com estimativas de cerca de 100 analistas, e divulgado nesta segunda-feira (11).

A revisão ocorre logo após a divulgação dos números da economia no terceiro trimestre do ano. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a economia no País avançou 1,4% na comparação com o mesmo período do ano passado, o que confirmou a saída da recessão.

Esse avanço foi possível diante das medidas adotadas pelo governo para tornar o Brasil mais eficiente, menos burocrático e com mais riqueza. Especialistas e economistas têm respondido de forma positiva nos últimos meses à retomada da economia e às reformas estruturais implementadas durante o período.

Inflação

Os analistas consultados pelo Banco Central também projetaram uma inflação muito menor que a sentida nos últimos anos, que já chegou a marcar dois dígitos. Neste ano, a expectativa é de que ela fique em 2,88% e marque 4,02%.


Fonte: Portal Brasil
Com variação de 0,15% · 12/12/2017 - 08h05 | Última atualização em 12/12/2017 - 08h11

Número de devedores fica estável em novembro, mas volume de dívidas cai


Compartilhar Tweet 1



O número de devedores no Brasil ficou estável em novembro em relação a outubro, com uma variação de 0,15%. Em comparação com o mesmo mês do ano anterior, a alteração foi maior, de 0,23%. Os dados são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

No total, são 59,9 milhões de pessoas com contas em atraso ou nomes negativados, aqueles incluídos em cadastros de devedores. Esse número representa 39,5% da população com idades entre 18 e 95 anos.

A inadimplência é maior entre brasileiros de 30 a 39 anos. Em novembro, 49% das pessoas nesse grupo estavam nessa condição. Na comparação por faixas etárias, em seguida vêm as de 40 a 49 (47%), 25 a 29 (46%), 65 a 84 anos (31%) e 18 a 24 anos (21%).

Entre as regiões, a Norte apresenta maior taxa de devedores, com 46% dos cidadãos residentes nos estados nessa condição. A segunda região com maior índice de pessoas inadimplentes é a Centro-Oeste (44%), seguida pela Nordeste (42%) e Sudeste e Sul (37%).

Volume de dívidas

Apesar da estabilidade, o volume de dívidas – ou seja, a soma dos valores de todos os empréstimos contraídos por pessoas de 18 a 95 anos analisados pelo SPC – em novembro apresentou queda de 3,79% em relação ao ano passado e de 0,14% em comparação com outubro.

No comércio, a redução foi mais acentuada: 6,44%. Já nos bancos (2,55%) e no setor de água e luz (1,43%) o índice foi abaixo da média. O único segmento em que houve ampliação do volume de dívidas foi o de comunicação (4%).

Recuperação lenta

Na avaliação do SPC, no último ano houve um processo de diminuição da tomada de empréstimos a partir da crise, com os consumidores evitando fazer uso desse recurso e as instituições concedentes (como bancos e financeiras) aumentando o custo e as garantias.

Segundo Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC, como há diversos casos em que uma pessoa contrai mais de uma dívida, com os sinais pequenos de recuperação da economia parte delas está conseguindo pagar uma ou outra dívida, o que gera a redução do volume mas não consegue sair da condição de inadimplência.

“A gente deve ver uma melhora nesse número uma vez que tenha recuperação mais sólida na economia, mas a melhora ainda é muito pequena. A absorção de 13 milhões de desempregados pelo mercado demora bastante. Mas mesmo que o emprego tivesse melhorado, a recuperação lenta existe porque a gente vai ter uma primeira rodada de contratações com o salário menor. Com a geração de postos informais, essa modalidade não tem todos os benefícios e isso faz com que haja uma demora na redução da inadimplência”, explicou a economista do SPC.

Juros reais

Segundo Sonia Amaro, advogada do Instituto Proteste – associação de defesa do consumidor que acompanha os índices de inadimplência e faz campanhas sobre o tema -, um dos problemas que encarece o crédito e mantém muitas pessoas com nome negativado é o nível alto de juros reais no cartão de crédito e em outras modalidades, como o cheque especial.

“Existe uma taxa de juros praticada altíssima, se comparada com outros países. Isso é resultado da política monetária. Embora a taxa Selic [definida pelo Banco Central e que serve de referência para outras taxas] tenha caído, na prática os juros reais são tão altos que o impacto não é tão significativo”, explicou a advogada.

Em novembro de 2016, o instituto divulgou estudo que aponta o Brasil com os maiores índices no cartão de crédito entre uma amostra de países latino-americanos. Em setembro daquele ano, os juros médios ao ano estavam em 436%, contra 43,7% no Peru, 43% na Argentina e 30% na Colômbia. Em outubro deste ano, o índice ficou em 397% no cartão e em 317% no cheque especial.

“O governo, no início desse ano, alterou as regras do rotativo do cartão, mas na prática ela ainda continua sendo muito prejudicial para o consumidor. Se a pessoa entrar nesse no rotativo pega uma dívida que não vai conseguir sair”, alertou Amaro.


Fonte: Agência Brasil
Iniciativa da CNI e do IEL · 12/12/2017 - 08h00 | Última atualização em 12/12/2017 - 08h05

Indústria 4.0 deve atingir 21,8% das empresas brasileiras em uma década


Compartilhar Tweet 1



A digitalização do processo produtivo industrial deve atingir 21,8% das empresas brasileiras em uma década, mostra pesquisa, divulgada nesta terça-feira (12/12) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Atualmente, o percentual é de 1,6%.A sondagem, que faz parte do Projeto Indústria 2027, avalia a expectativa de 759 grandes e médias indústrias brasileiras e multinacionais em relação à adoção de tecnologias 4.0. O projeto é uma iniciativa da CNI e do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Para a CNI, a atualização da mão de obra será um desafio.

Os números referem-se ao nível mais elevado de conexão da produção – Geração 4 –, com “tecnologias da informação e comunicação (TIC) integradas, fábricas conectadas e processos inteligentes, com capacidade de subsidiar gestores com informações para tomada de decisão”.

A pesquisa estabeleceu classificações de quatro gerações de tecnologias digitais para o desenvolvimento da sondagem. O primeiro nível refere-se a produção pontual de TICs, a segunda geração envolve automação flexível com o uso de TICs sem integração ou parcialmente integradas e a terceira consiste no uso de tecnologias integradas e conectadas em todas as áreas.

“Passaremos os próximos dez anos em um processo de transformação industrial muito intenso, com as empresas, de fato, buscando trazer essa tecnologia disruptiva e implementando essas práticas dentro do seu modo de produção”, avaliou Paulo Mól, superintendente nacional do IEL. Ele avalia que essas transformações tecnológicas servirão para aumentar a produtividade, reduzindo o custo de produção e tornando as empresas brasileiras mais competitivas.

De acordo com os pesquisadores, a indústria 4.0 é também conhecida como a quarta revolução industrial. “[Ela] resulta do uso integrado de tecnologias avançadas da automação, do controle e da tecnologia da inovação em processos de manufatura”. Tais mudanças envolvem questões como o uso de robótica, de novos materiais, de biotecnologia, de armazenamento de energia, big data, entre outros.

A expectativa dos empresários é de que os estágios 3 e 4 de uso de tecnologia avancem na próxima década. O nível 3 passará de 20,5% para 36,9%. Os demais níveis recuariam, abrindo espaço para empresas mais conectadas. Atualmente, o estudo indica que 77,8% das empresas brasileiras ainda estão nas gerações tecnológicas 1 e 2. O maior percentual, em dez anos, estaria concentrado nos níveis 3 e 4, com 58,7% das indústrias.

A pesquisa avaliou ainda como as tecnologias 4.0 influenciarão as áreas de relacionamento com fornecedores, desenvolvimento de produto, gestão da produção, relacionamento com clientes e gestão de negócios. No relacionamento com fornecedores, por exemplo, 77,3% dos entrevistados disseram que a probabilidade é alta ou muito alta de as tecnologias digitais serem dominantes nessa relação.

Entre os desafios para alcançar essa expectativa expressa pelos empresários, Mól destaca a questão da mão de obra qualificada. “Quando eu falo que o Brasil deve passar por uma transformação industrial muito forte, como os dados estão mostrando, isso vai reequerer um país muito apto para ser parceiro nessas transformações”, disse o superintendente. Ele lembra a necessidade de parcerias com universidades e de políticas públicas de incentivo à indústria.


Fonte: Agência Brasil
313 detentos fizeram o ENEM · 11/12/2017 - 16h48 | Última atualização em 11/12/2017 - 16h52

Cerca de 36% dos detentos do Piauí estão participando de algum programa educacional


Compartilhar Tweet 1



O Piauí inscreveu 313 detentos para fazerem as provas do Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade e Jovens sob Medida Socioeducativa (Enem PPL), que será aplicado nesta terça-feira (12/12) e quarta-feira (13), a partir de 12h30, em 14 penitenciárias.

Na manhã desta segunda-feira (11), as secretarias de Justiça e de Educação do Estado realizaram, na Casa de Custódia, a última revisão geral para o Enem, com participação de reeducandos dos estabelecimentos penais da região da Grande Teresina.

Ao longo do ano, foram realizadas revisões abordando assuntos que serão cobrados nas provas. No primeiro dia de Enem, as provas serão Linguagens e Ciências Humanas e suas Tecnologias e a Redação. No segundo, Matemática e Ciências da Natureza e suas Tecnologias. 

“A educação é fundamental e libertadora. Essas revisões, com as dicas dos professores e da abordagem sobre o conteúdo das provas, ajudam os reeducandos a terem mais confiança e melhor desempenho”, observa Wellington Soares, professor de Língua Portuguesa.

De acordo com a Secretaria de Justiça, cerca de 36,2% dos presos do Piauí estão participando de algum programa educacional nos presídios do Estado. De 2015 a 2017, houve um crescimento de quase 300% no número de pessoas privadas de liberdade estudando.

Nayra Silva de Aquino, reeducanda da Penitenciária Feminina de Teresina, quer cursar Direito e está confiante que fará uma boa prova. “O preparativo está ótimo, participei de todas as aulas e esse aulão está sendo muito importante aperfeiçoar nossos conhecimentos”, diz.

O secretário de Justiça, Daniel Oliveira, destaca que as revisões do Enem “consolidam a política educacional do Estado, que busca garantir acesso à educação dentro dos presídios. Estamos aumentando o número de presos estudando e fortalecendo o programa de ressocialização”.


Fonte: Portal do Governo do Piauí

Compartilhar Tweet 1



O Hospital Getúlio Vargas (HGV) foi selecionado para participar do Projeto “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS) do Ministério da Saúde. O HGV foi selecionado devido ao resultado satisfatório no Projeto Paciente Seguro também do Ministério da Saúde em 2017.

O projeto será desenvolvido, inicialmente, nas UTIs do HGV para que a instituição siga os mesmos protocolos de atendimento aos pacientes que hospitais, considerados de excelência no Brasil, seguem como: pacote de intervenções capaz de medir a melhoria contínua dos processos de trabalho da equipe, além da criação de um sistema de cuidado à prova de erros, com inspeção sucessiva, autoinspeção e inspeção na fonte.

Segundo a diretora-geral do HGV, Clara Leal, esses protocolos são capazes de prevenir eventos adversos que podem causar danos aos pacientes dentro de hospitais, como quedas, administração incorreta de medicamentos e erros em procedimentos cirúrgicos.

Representando a diretoria, uma equipe composta do diretor técnico Ingrácio Amorim; coordenador da UTI Bruno Ribeiro; gerente de Enfermagem Cecília Viana e as enfermeiras Juliana Odorico e Lucia Mesquita participam, em São Paulo, do primeiro treinamento do projeto (Sessão de Aprendizagem Presencial), sob a orientação do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Equipe do HGV participou primeiro treinamento do projeto sob a orientação do Hospital Oswaldo Cruz.
Equipe do HGV participou primeiro treinamento do projeto sob a orientação do Hospital Oswaldo Cruz.    Foto: AsCom/ HGV

Relação custo x benefício.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o impacto financeiro das falhas de segurança na Saúde equivale a 15% do total de todas as atividades e gastos hospitalares. Os custos de prevenção aos eventos adversos são menores quando comparados aos custos do dano ao paciente (economia de US$ 28 bilhões entre 2010 e 2015 nos EUA).


Fonte: AsCom/ CCOM