Se mecanismo for transparente · 18/01/2020 - 10h00 | Última atualização em 18/01/2020 - 11h44

Secretário interino de Cultura é um dos defensores da Lei Rouanet


Compartilhar Tweet 1



José Paulo Soares Martins, que irá assumir a Secretaria Especial de Cultura após a demissão de Roberto Alvim, defende a Lei Rouanet e de seu mecanismo de transparente. Para Martins, a cultura é um dos principais eixos do desenvolvimento social e econômico do Brasil. As informações são do R7.

O administrador com mais de 47 anos de carreira na iniciativa privada, afirmou que a lei tem mais de 50 mil projetos em seus cerca de 27 anos, com mais de R$ 17 bilhões aprovados.

“É um trabalho de fomento à cultura incrível. O que nós vimos na abertura das Olimpíadas (de 2016) mostra o resultado de projetos incentivados. A Lei Rouanet apresenta 0,64% do total das renúncias fiscais do governo federal e tem um retorno enorme”, afirmou na ocasião em que ocupava o cargo de secretário de Fomento e Incentivo à Cultura.

Na época, o grupo criou o portal da Lei Rouanet, onde qualquer cidadão pode ter total informação sobre os projetos financiados. “É um nível de transparência importante. Eu diria que um dos instrumentos mais transparente que nós temos no governo”, avaliou.


Comentários