Alunos envolvidos serão penalizados -

Presidente Lula condena “punhetaço” de estudantes : “É inadmissível”

Em Nova York, nos Estados Unidos, onde estava participando da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez uma ligação para o ministro da Educação, Camilo Santana, buscando medidas contra os estudantes da Universidade Santo Amaro (Unisa) envolvidos em um incidente de comportamento inaceitável durante um jogo de vôlei feminino em São Carlos, SP, conhecido como "punhetaço". Na conversa, o presidente expressou sua condenação pelo ato, classificando-o como "totalmente inadmissível". Com informações do Metrópoles.

Foto: Reprodução

Lula destacou a importância não apenas de expulsar os alunos envolvidos, mas também de responsabilizá-los legalmente por suas ações. Ele expressou surpresa pelo fato de o incidente ter demorado a ser trazido à tona, enfatizando que tal comportamento não pode ser tolerado.

A declaração de Lula foi compartilhada pelo ministro Camilo Santana durante sua participação no 7º Congresso Internacional de Jornalismo de Educação, organizado pela Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca).

A direção da Universidade Santo Amaro (Unisa), localizada na zona sul de São Paulo, decidiu tomar medidas enérgicas, expulsando seis estudantes de medicina que participaram do incidente denominado "punhetaço" durante um torneio universitário na cidade de São Carlos, interior de São Paulo. Os nomes dos estudantes não foram divulgados.

A Polícia Civil de São Paulo iniciou uma investigação na segunda-feira para identificar os estudantes envolvidos no ato indecente, que constitui um crime sujeito a uma pena de 3 meses a 1 ano de prisão, de acordo com a legislação. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que a Unisa e a Secretaria Municipal de Esportes de São Carlos, onde o incidente ocorreu, serão chamadas para prestar esclarecimentos sobre o "punhetaço" organizado pelos alunos de medicina.

Fonte: Metrópoles

Comentários

Trabalhe Conosco