Assista a reportagem · 16/06/2021 - 15h51

MN: Flávio Bolsonaro sobre Witzel, "se está atacando, estamos no caminho certo"


Compartilhar Tweet 1



A correspondente de Brasília da Rede Meio Norte, Ranielly Veloso, entrevistou na tarde desta quarta-feira (16), o senador Flávio Bolsonaro, que falou sobre o depoimento do ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, na CPI da Covid-19. O ex-gestor pediu para se retirar, e a sessão da CPI da Covid foi encerrada.

De acordo com Flávio Bolsonaro, hoje foi mais um dia lamentável de circo no Senado. "Ele veio amparado para fazer o que quer, falando sobre o presidente, fazer uma pré-campanha, só que ele se esquece que ele foi cassado no Rio de Janeiro e está inelegível por cinco anos então ele nunca será presidente da república, nem se tivesse condições de ser candidato, já enganou o povo uma vez no Rio de Janeiro e não vai enganar de novo, muitas perguntas estavam preparadas para serem feitas, muitas coisas estavam para serem esclarecidas. Ele simplesmente quando sentiu que o bicho ia pegar levantou e foi embora", declarou.

De acordo com o senador, o depoimento de Witzel não prejudicou o presidente Bolsonaro. "Ele não prejudicou porque o que vem dele para a gente é sempre um motivo de certeza que a gente está no caminho certo, uma pessoa tão ruim, corrupta que roubou dinheiro da saúde do Rio de Janeiro, então o que vem dele não nos atinge, se ele está atacando nós estamos no caminho certo e o presidente Bolsonaro está no caminho certo", disse.  

Durante audiência nesta quarta, Witzel acusou o governo federal e o Ministério Público de perseguirem governadores. No meio do depoimento, houve um bate-boca entre os dois. Flávio Bolsonaro não é membro da CPI, mas compareceu à sessão durante a oitiva de Witzel. 

"Quando a pessoa perde a razão elas tanta desqualificar, eu falei para ele que a sabedoria e o equilíbrio não têm a ver com tempo que vive, mas com o que aprendeu ao longo da vida, mas ele não aprendeu nada, não tirou lição nenhuma de tudo isso que está passando, pelo contrário virou uma pessoa rancorosa, mente descaradamente na CPI. Por muito menos já vi o senador Renan Calheiros querer dar voz de prisão por uma pessoa que não fez absolutamente nada. Sendo que o Renan responde a 17 processos no STF, aí fica perguntando para alguém que é suspeito de desviar dinheiro da saúde no Rio de Janeiro. Então acho que isso tem sido muito ruim para o Senado, a forma como os depoentes e os senadores se comportam", declarou.


Fonte: Grupo Meio Norte

Comentários