Precariedade do espaço · 13/05/2022 - 08h18

Em visita ao hospital de Picos, Teresa Britto encontra unidade colapsada e cobra melhorias


Compartilhar Tweet 1



A deputada estadual Teresa Britto (PV), esteve na cidade de Picos nesta quinta-feira (12/05), em visita ao Hospital Regional Justino Luz (HRJL). Essa é a terceira visita na unidade de saúde. Teresa esteve anteriormente, nos anos de 2019 e 2020. As informações são do Cidades na Net.

De cara ao chegar no hospital por volta das 11h desta quinta, a parlamentar se deparou com uma grande lotação de pacientes no setor de urgência e emergência, no Pronto Socorro, além de pessoas deitadas em macas sem colchonetes, bem como pacientes que aguardavam há cinco dias por atendimento.

Teresa Britto é membro da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Piauí. Em um comparativo com os anos de 2019 e 2020, a deputada disse que houve melhorias significativas, principalmente, por conta dos recursos advindos da Covid-19 que foram implantados nos setores de alta complexidade, mas destacou que há imensos gargalos atualmente.

“Está totalmente colapsado o pronto socorro, com uma superlotação, imensa. Pacientes há cinco dias em uma maca esperando uma internação, pacientes graves, macas sem colchonetes, pacientes sem cadeiras, sem o atendimento durante o dia todo, ou seja, teve o primeiro atendimento mas não teve mais o acompanhamento. O pronto socorro, tanto o infantil como o de adulto estavam totalmente colapsados”.

Teresa encontrou na enfermaria infantil leito com três crianças, bem como pacientes que estavam em macas sem lençol, além de quartos com o teto em situação preocupante.

“Isso vai totalmente contra todo o processo de humanização que preconiza o SUS. Totalmente contra as normas sanitárias. Essa situação tem que ser resolvida e nós vamos cobrar, para que seja resolvido”, afirmou.

Durante vistoria Teresa Britto esteve acompanhada do neurologista e diretor técnico Tércio Luz, e da biomédica Milena Vasconcelos. Entre outras deficiências, verificou algumas janelas quebradas nas enfermarias, a falta de climatização na cozinha, o único banheiro que é utilizado por homens e mulheres no setor de Pronto Socorro entre pacientes e funcionários.

Comentários