Deliberação de pautas · 13/03/2018 - 15h21 | Última atualização em 13/03/2018 - 15h23

Em reunião, setor empresarial discute ações para combater burocracia em Teresina


Compartilhar Tweet 1



Representantes de entidades ligadas à construção civil, da Ordem dos Advogados do Piauí (OAB/PI) e empresários do setor industrial estiveram reunidos na noite dessa segunda-feira (12/03) para deliberação de pautas relacionadas ao setor, especialmente em relação à desburocratização para a liberação de empreendimentos na capital. O encontro aconteceu na sede da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI).

Dentre as questões discutidas está a burocracia enfrentada pela construção civil e resulta no atraso de obras importantes para o desenvolvimento econômico do município. De acordo com o presidente do Sinduscon Teresina, André Baía, esta burocracia atrapalha o ambiente de negócios e impede que o teresinense realize o sonho de ter sua casa própria. “Reunimos representantes de associações e o presidente da OAB/PI para buscarmos auxílio junto ao prefeito, ao governador e ao presidente do Tribunal de Justiça para conseguimos uma solução para esta questão que afeta todos os piauienses”, explica.

Durante o encontro, os participantes destacaram que os órgãos envolvidos no processo de liberação dos empreendimentos precisam ser mais céleres. “É preciso informatizar os processos. O programa Construa Fácil da Prefeitura deve ser acelerado, os cartórios precisam dar continuidade ao concurso para tabelião e o Corpo de Bombeiros necessita implantar seu programa de tecnologia de informação. Estes órgãos precisam acelerar para não ficarmos para trás nesta nova revolução industrial que está chegando”, pontua André Baía.

O presidente do Sindicato da Indústria de Cerâmica para Construção do Estado do Piauí (SINDICER/PI), Waldyr Junior, explica que o setor sofre com a falta de qualificação dos órgãos fiscalizadores. “Eu tenho cerâmica instalada há 30 anos e todos os anos eu tenho que provar para a Prefeitura que ela existe. A Prefeitura e o Governo não têm pessoas qualificadas para fiscalizar as empresas de cerâmica”, destaca.

As entidades e os empresários também discutiram a contratação de menores aprendizes por empresas do setor e ficou definido que um estudo será feito sobre o assunto. O novo código de combate a incêndios também foi pauta da reunião e uma audiência com o governador Wellington Dias será solicitada para sugerir uma melhor regulamentação, além de reforçar a importância da Anotação de Responsabilidade Técnica (A.R.T).

 


Fonte: Ícone comunicação

Comentários