Grade curricular · 23/03/2021 - 19h03

Professor explica metodologias do estudo musical em casa


Compartilhar Tweet 1



O estudo de um instrumento musical não difere muito do estudo de uma grade curricular convencional. A principal diferença é que a música pode e deve ser estudada tanto de forma empírica quanto teórica. No Palácio da Música, as disciplinas são levadas bem a sério e pelo fato das aulas serem remotas, por conta das medidas de isolamento social tomadas para evitar o contágio do novo coronavírus, o professor Filipe de Sousa dá dicas de como conciliar os estudos em casa com a rotina diária.

Segundo o profissional, o ensino a distância tem diversas vantagens, mas exige alguns cuidados para que não se perca o objetivo do aprendizado, que deve nortear os interesses de quem deseja adquirir competências e uma formação diferenciada. Para ele, uma forma geral de organizar 60 minutos de estudo seria separando os 10 primeiros minutos para aquecimento, os 20 minutos seguintes para aplicação de teoria na prática, com a utilização de escalas, acordes ou arpejos e os 20 minutos finais para a parte mais divertida: a prática de repertório, trabalhando uma música por vez.

“O que se faz com gosto e prazer torna-se mais produtivo, é preciso sim, estudar coisas que o aluno pode achar chato de início, mas na hora de aplicar à prática a diferença será marcante. É preciso tomar nota em um caderno só para o instrumento, separar o material para cada assunto, nunca pulando para o assunto seguinte sem antes tê-lo dominado. Respeitar seu tempo de aprendizagem, não tentar se comparar com os outros e internalizar que é normal haverem dias improdutivos”, explica Filipe de Sousa, enfatizando ainda que o importante é manter uma rotina.

O professor explica ainda que é preciso o aluno definir na residência um local de estudo e que caso more com outras pessoas, é importante ter um espaço onde ele não consiga ser atrapalhado ou atrapalhar. “Procure um ambiente que tenha condições para você manter a postura correta para estudar, ou seja, um lugar não muito apertado, que tenha uma cadeira ou banco confortável. De preferência bem iluminado, onde você consiga visualizar bem os seus materiais de estudo, partituras e etc”, conclui Filipe de Sousa, que, além de músico, é professor de guitarra no Palácio da Música.

Adnayane Marins, diretora do Palácio da Música, conta que além das aulas, os professores são orientados a darem dicas de otimização do estudo em casa que, segundo ela, acaba sendo um bom proveito financeiro para alguns, uma vez que a aula on-line permite que o aluno faça tudo de onde estiver, sem a necessidade de gastar tempo ou dinheiro com a locomoção até um local de aula físico. “Os cursos on-line também acabam gerando oportunidades para pessoas de baixa renda, principalmente aquelas que sonham em tocar um instrumento, mas que não contam com recursos financeiros para se locomover até o Palácio da Música, que fica na região central da cidade”, conta Adnayane Marins.

O Palácio da Música é mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. Para maiores informações sobre novas turmas, basta acessar o site fcmc.teresina.pi.gov.br ou seguir as redes sociais da fundação ou do palácio.


Fonte: Prefeitura de Teresina

Comentários