Censura é proibida no Brasil · 11/07/2019 - 15h32

Google, Google, Google, Google, Google: não censure, pede Mario Rosa


Compartilhar Tweet 1



Censura é proibida no Brasil

Algoritmo que tem que mudar

Mordaça a liberdade de expressão

Eu, Google, coloquei seu sacrossanto nome cinco vezes no título e mais outra logo no início do parágrafo. Acho que estou querendo chamar sua atenção, não estou não? Sabe o que é, Google? (Olha eu indexando você de novo de modo que você possa se alertar sobre você mesmo, Google, como num imenso salão de espelhos digital).

Google (baixaria minha, hein?), o negócio é o seguinte: outro dia você tirou do ar uma declaração jornalística de um senador postada aqui neste jornal digital. O senador Major Olímpio dizia que “quem dá tiro em policial tem mais é que morrer mesmo”…e por aí foi. Seus robozinhos, Google, retiraram o vídeo do ar e glosaram este veículo jornalístico no YouTube e em você, Google, para uma “revisão” de 90 dias, um bloqueio sob o nome pomposo de “violação sobre a política de conteúdo prejudicial ou perigoso ao YouTube”. Todo mundo sabe que o YouTube é seu né, Google?

Google, falando sério: não é a primeira vez que um poderoso arsenal americano desembarca na selva e parece invencível. Lá no Vietnã, você sabe, consulte aí, deu no que deu. Censura é proibida no Brasil. E se seu “algoritmo” é uma equação que amordaça a liberdade de expressão, ele é que vai mudar. Ou você acha sinceramente, Google, que seu poder é tão grande que vai rasgar a Constituição de um país?

Olha aí Google: com todo o respeito, mas nossa floresta é ainda maior que a do Vietnã, viu? E só faço esse alerta, meu caro Google, porque não são esses “robozinhos” eletrônicos ou esses outros robozinhos, executivos que estão de passagem pela empresa aqui no Brasil, que vão definir o que é a liberdade de expressão.

Como diz uma amiga minha, vocês querem caçar conversa com as instituições brasileiras é? Google, você quer virar um vilão, um censurador, um big brother (talvez bug brother), a mais nova cara do “yankess, go home!”?

Porque sites jornalísticos são feitos para…fazer jornalismo. E se um senador fala algo – concorde-se ou não – o dever jornalístico é levar ao conhecimento da sociedade. Até para que a sociedade condene ou julgue e absolva essa ou aquela postura. Mas o censor, esse seu robozinho, não pode fazer isso. É ilegal, Google. É inconstitucional, Google. É coisa do Cidadão Kane, Google. Sai dessa, Google! Qual vai ser o próximo passo? Seus robozinhos vão ser adestrados pelo seu algoritimozinho e vão impedir, depois, que talvez notícias sobre corrupção sejam difundidas?

Vamos lá, Google, vamos em frente! Qual vai ser o próximo passo da sua guarda pretoriana digital, Google? Proteger governos? Impedir que áudios indiscretos sejam disseminados? Fazer uma eugenia em todos os arquivos de fotos? Fazer um mundo lindo, sem problemas, sem feiura, sem contrastes, sem diversidade, sem pobreza?

É isso, Google? Você quer ser a nova Germânia, a capital do mundo digital, Google? Você com sua SS de robozinhos aparentemente “fofos” e algoritmos aparentemente “neutros”, mas que adulteram, subvertem, contaminam, empesteiam, menosprezam, rasgam a Constituição e o direito de livre expressão assegurado ao jornalismo profissional?

Google, Gooooglllleeee? Eu to chamando você: ei Goooooooggglllleeee? Preste atenção: as instituições brasileiras não são robozinhos. A Justiça brasileira não é um algoritmo. A imprensa brasileira não é um clique, uma mera audiência. Liberdade de imprensa é coisa séria e assim deve ser tratada. Isso aqui é um país. Respeite para ser respeitado. Respeite princípios para, em princípio, merecer respeito.

Você é muito bem vindo e presta um grande serviço à nação. Mas…não se ache não, Google. Os vietcongues, aqui, sabemos de uma só coisa: a floresta é nossa e o arroz nos basta. O resto…passa, viu Google?

Conteúdo produzido pelo Portal Poder360 – www.poder360.com.br. Todos os direitos reservados. Reprodução permitida mediante autorização expressa.


Comentários