Olímpiada de Tóquio · 21/07/2021 - 00h19 | Última atualização em 21/07/2021 - 00h26

Seleção Feminina enfrenta a China pela abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio


Compartilhar Tweet 1



Brasil faz sua primeira partida na madrugada desta quarta-feira, contra as chinesas, em reedição de duelo da Rio 2016

Chegou a hora. É dia de estreia da Seleção Feminina nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020! Na manhã desta quarta-feira (22), o Brasil enfrenta a China pela primeira rodada da fase de grupos da Olimpíada. A bola rola às 5h (horário de Brasília) no Estádio de Miyagi, com transmissão ao vivo da Rede Globo, do Sportv e da BandSports.

Brasil x China - Tóquio 2020


Data: 21 de julho (quarta-feira)

Horário: 5h (horário de Brasília)

Local: Estádio de Miyagi, Japão

Transmissão: Rede Globo, Sportv e BandSports

Reencontro com a China


Pela segunda edição consecutiva, a Seleção Feminina iniciará a Olimpíada contra a China. Na abertura dos Jogos Olímpicos do Rio 2016, Brasil e China mediram forças no Estádio Nilton Santos, em um jogo que guarda boas memórias para a Amarelinha. Diante de quase 30 mil torcedores, a Seleção Brasileira venceu por 3 a 0, com gols de Mônica, Andressa Alves e Cristiane. 

Mas aquele não foi o primeiro duelo entre Brasil e China nos Jogos Olímpicos. Logo na edição em que o torneio de futebol feminino estreou, em Atlanta 1996, as duas seleções protagonizaram um confronto épico na semifinal. O Brasil contava com talentos como Sissi, Pretinha e Kátia Cilene, mas acabou superado por 3 a 2 e foi para a disputa da medalha de bronze. Os gols da Seleção foram marcados por Roseli e Pretinha.

Retrospecto em estreias


O Brasil é um dos três países a disputar todos as sete edições do torneio de futebol feminino nos Jogos Olímpicos. E a Seleção Feminina nunca foi derrotada em uma estreia na competição. Em seis jogos, são quatro vitórias e dois empates, com 13 gols marcados e apenas dois sofridos.

Nas últimas duas edições, o Brasil não só não perdeu, como venceu bem. Além da vitória por 3 a 0 sobre a China em 2016, a Seleção Feminina também goleou Camarões por 5 a 0 nos Jogos de Londres 2012.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (20), Marta tentou descrever o sentimento de voltar aos Jogos Olímpicos, mas acabou ficando sem palavras.

“É uma grande alegria poder estar aqui, na expectativa de poder vivenciar ativamente mais uma Olimpíada. Essa edição é especial não somente pelo momento que vivemos, mas porque é um objetivo que a gente vem buscando há bastante tempo. Uma atleta de alto nível sempre vai pensar em jogar as grandes competições e trabalhar constantemente para estar preparada quando a oportunidade chegar. A felicidade é enorme e faltam palavras para descrevê-la”, disse.

Ela sabe o caminho


A estreia da Seleção será também o primeiro jogo oficial da técnica Pia Sundhage com a Amarelinha. A treinadora, que tem duas medalhas de ouro olímpicas, preferiu não revelar o time que vai a campo diante da China, mas garantiu: o Brasil está preparado.

"O Brasil está pronto, com certeza. Acho que cuidamos de nossas prioridades nesses dois anos de trabalho. Acredito que nossa defesa, que já era boa, é mais sólida atualmente e que nosso ataque é um pouco mais organizado, o que significa que todo o time quer estar na mesma página. Mas eu nunca tiraria o samba, o estilo brasileiro com o qual elas me surpreenderam, porque eu amo isso. E acho que essa mistura, espero, vai nos fazer ir longe nessa Olimpíada”, declarou Pia, em entrevista coletiva na véspera do confronto.

Pia fará seu primeiro jogo oficial no comando da Seleção Brasileira
Créditos: Sam Robles/CBF

As novatas


A técnica Pia Sundhage fala para quem quer ouvir: há uma grande geração de talentos surgindo no futebol feminino do Brasil. Essa onda de novas atletas se reflete na lista convocada pela treinadora para a Olimpíada de Tóquio. Das 22 jogadoras chamadas, nove farão sua estreia em Jogos Olímpicos no Japão: Letícia Izidoro, Jucinara, Letícia Santos, Angelina, Júlia Bianchi, Maria Eduarda, Giovana, Geyse e Ludmila.

Mais nova entre todas elas, a atacante Giovana tem tentado aproveitar ao máximo a experiência de trabalhar e conviver com grandes lendas da Seleção e do futebol feminino, como Marta e Formiga, que vai para a sua sétima participação em Jogos Olímpicos.

"Estar aqui com as melhores do mundo, como ela (Formiga) e a Marta, é um prazer, porque elas são jogadoras muito boas e importantes", afirmou Gio.

Media Guide


 

Comentários