Chega a 276 vagas conquistada · 26/06/2021 - 12h56

Chayenne Pereira garante índice olímpico para Tóquio e Brasil


Compartilhar Tweet 1



Nesta sexta-feira (25/06), o Brasil chegou a 276 vagas conquistadas para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Isso porque a carioca Chayenne Pereira da Silva, de 21 anos, fez o índice olímpico ao correr e vencer os 400m com barreiras em 55.15 no Campeonato Paulista Adulto de Atletismo, disputado no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, em São Paulo. O índice estabelecido pelo World Athletics para a prova é 55.40.

A marca de Chayenne (EMFCA) é recorde sul-americano e brasileiro sub-23 e novo recorde brasileiro adulto - melhorou sua própria marca de 55.70, feita na última quarta-feira (23/06), em Bragança Paulista, no II Meeting Internacional Rumo a Tóquio. Chayenne fez a segunda melhor marca da história do atletismo sul-americano (atrás da recordista continental Gianna Ursula Woodruff, do Panamá, que tem 54.70) e a 16ª do Ranking da World Athletics. Liliane Parrela (Associação Comunidade Atletismo) ficou em segundo com 56.62, seguida por  Rita de Cássia Pereira Silva (ASPM Pindamonhangaba), com 57.48.

"Eu tinha a esperança de me qualificar por pontos para os Jogos Olímpicos, e ela aumentou após os últimos resultados. Mas as marcas já estavam saindo nos treinos", disse Chayenne, que treina na pista da Vila Olímpica de Santa Cruz e na pista da Marinha, no Rio, e está sendo preparada pela treinadora Marsele Mazzoleni para os Jogos de Paris em 2024. Começou correndo revezamentos, mas passou para as barreiras, em 2015.

    Wagner Carmo/CBAt

"Ela tem 21 anos, saiu da categoria sub-20, e ainda vai melhorar muito. Não posso apressar o desenvolvimento, mas ela pode correr essa prova para 54, para 53 segundos, e ir aos Jogos de Tóquio será uma experiência incrível", afirma Marsele. 

Chayenne foi campeã brasileira sub-16, sub-18 e sub-20 e adulta em 2019 nos 400m com barreiras. Nesta temporada precisou correr muitas vezes para evoluir, teve uma contratura na perna e sentiu o cansaço no Sul-Americano de Guayaquil, Equador, em que foi 3ª, e depois foi quinta no Troféu Brasil Loterias Caixa, em São Paulo.

Outro bom resultado no Campeonato Paulista de Atletismo nesta sexta foi de Flávia Maria de Lima (FECAM/ASSERCAM), nos 800m, com 2.01.87, a melhor marca na prova desde 2015, quando ela ganhou a medalha de bronze no Pan-Americano de Toronto. Jaqueline Beatriz Weber (Associação Recreativa Medalha de Ouro) ficou com a prata, em 2.02.69, recorde pessoal, e Uhuru Rocha com o bronze, em 2.06.85.


Fonte: COB

Comentários