Congresso Nacional · 07/03/2018 - 15h56 | Última atualização em 07/03/2018 - 16h47

Myriam Portella recebe prêmio Bertha Lutz em sessão especial no Congresso


Compartilhar Tweet 1



O Congresso Nacional entregou o diploma Bertha Lutz a 26 deputadas constituintes em sessão solene nesta quarta-feira (7). O evento faz parte da comemoração do Dia Internacional da Mulher, celebrado no dia 8 de março, e das comemorações dos 30 anos de promulgação da Constituição Federal de 1988.

Dentre as agraciadas, esteve a ex-deputada constituinte Myriam Portella, mãe da deputada federal Iracema Portella (Progressistas), que apresentou 174 emendas e teve 53 aprovadas. Foi integrante da Subcomissão da Questão Urbana e Transporte e da Comissão da Ordem Econômica.

Advogada de formação foi servidora pública e primeira-dama do Estado do Piauí. Teve uma atuação importante na área social, em especial, na defesa dos direitos da infância e da adolescência, da mulher e das pessoas com deficiência.

“Foi com muita emoção que participei da sessão solene para a entrega do Diploma Bertha Lutz que, neste ano, homenageou as 26 Deputadas Constituintes. Dentre as agraciadas, em especial, Myriam Portella, minha mãe, exemplo de conduta irretocável, séria e comprometida com a causa pública. Deputada nota 10”, declarou.

Para Iracema, essas mulheres ajudaram a escrever um dos principais capítulos da história recente. “Gostaria, portanto, de parabenizar as agraciadas deste ano e ressaltar, aqui, o quanto a trajetória delas é inspiradora, é capaz de nos estimular a seguir adiante na batalha pela ampliação da participação feminina nos espaços de poder”, disse.

De acordo com a deputada Iracema, a participação da bancada feminina nesse cenário foi fundamental. Com uma atuação em sintonia com os movimentos sociais, as 26 deputadas federais conseguiram vários avanços no que diz respeito ao reconhecimento do papel das mulheres no País e na garantia de seus direitos.

“Agradeço a essas mulheres exemplares pela coragem e pelo legado que deixaram, abrindo portas para que outras ativistas e parlamentares continuassem e intensificassem ainda mais a batalha cotidiana pelos direitos femininos”, finalizou a deputada piauiense.

 

 

 

 

 

Comentários