Afro Progressistas · 13/04/2018 - 15h43

Afro Progressistas debate Abolição e Discriminação


Compartilhar Tweet 1



O Afro Progressistas do Piauí iniciou um ciclo de debates sobre o tema “Abolição e Discriminação”, para discutir a importância histórica do dia 13 de maio nas escolas, levando aos jovens uma visão crítica sobre novas formas de escravidão, 130 anos após a assinatura da Lei Áurea.

O cientista político e jornalista Denilson Avelino é o responsável pelo conteúdo e explica que o objetivo do projeto é mostrar aos estudantes que mesmo após a abolição da escravatura no Brasil, os negros continuam sendo alvo de preconceitos e discriminações. “Ainda existe trabalho escravo e a maioria das vítimas são negras, no mercado de trabalho formal os homens e mulheres negros ganham menos que os brancos, e até sexualmente falando os negros ainda são vítimas de objetificação. Essas são barreiras que ainda precisam ser ultrapassadas”, comenta o palestrante.

Avelino destaca ainda que chegar às escolas com este projeto é importante porque o público alvo está numa faixa etária em que começa a ter consciência cidadã e interesse por formação política. “O Afro Progressistas busca passar informação de forma correta e responsável”, diz.

Para a coordenadora do movimento no Piauí, Virna Lisi, contar com o apoio da deputada federal Iracema Portella para a realização dos seminários é essencial para chegar ao maior número possível de jovens. “Estamos começando por Teresina mas vamos também ao interior, temos convite de várias escolas e comunidades. O papel do Afro Progressistas é trabalhar a visão crítica do público em relação ao preconceito e à discriminação, e não só racial, mas também sexual e religiosa. A deputada Iracema é madrinha nacional do movimento e nos dá apoio incondicional”, declara.

No Colégio Síntese, em Teresina, cerca de 100 jovens participaram do seminário. Além da deputada federal Iracema Portella, a Fundação Milton Campos, o senador Ciro Nogueira e o deputado estadual Júlio Arcoverde abraçam a causa do Afro Progressistas no Piauí.

Comentários