Geral

Elaborado protocolo próprio · 07/08/2020 - 16h40

Vigilância Sanitária faz fiscalização nos salões de beleza em Teresina

A reabertura dos salões de beleza está inclusa na Etapa 1 da Fase 3 de retomada das atividades econômicas e sociais


Compartilhar Tweet 1



A Vigilância Sanitária de Teresina está realizando, nesta sexta-feira (07), a fiscalização dos salões de beleza da cidade, que estão previstos para abrir na próxima segunda-feira (10). A Fundação Municipal de Saúde (FMS) alerta para as principais medidas de segurança que devem ser tomadas tanto pelos trabalhadores como pelos clientes para evitar a transmissão da Covid-19 durante procedimentos estéticos.

Para a reabertura segura, a Vigilância sanitária elaborou um protocolo próprio, contemplando a especificidade dos serviços de beleza, que requerem contato direto com o cliente. Como orienta a gerente Jeanyne Seba, eles devem trabalhar apenas com atendimento previamente agendado. Pessoas do grupo de risco devem ir nos horários com menor fluxo de pessoas. Além disso, pessoas que apresentarem sinais gripais no dia do procedimento devem adiá-lo por até sete dias.  Os clientes devem ainda evitar levar acompanhantes, especialmente crianças.

    Foto: Divulgação/PMT

No momento do agendamento, os consumidores devem ser orientados a trazer seus utensílios de uso individual para atendimentos de manicure, pedicure, podologia e maquiagem, além de uma máscara reserva para algum imprevisto. “As pessoas devem dar preferência a modelos de máscaras presas à orelha, para que não precisem ser retiradas. Além disso, antes de qualquer procedimento capilar, deve-se lavar o cabelo”, orienta Jeanyne Seba.  Os clientes também devem levar sacos para armazenamento de seus pertences e descarte de máscaras usadas. Em caso de esquecimento, o salão também deve disponibilizar esse material.

Ela explica que os salões devem ainda priorizar itens de trabalho descartáveis ou esterilizados em autoclave na temperatura e tempo indicados para o novo coronavírus. Utensílios como pentes, escovas e bobes devem ser higienizados com solução clorada. No ato do atendimento, os trabalhadores devem higienizar as mãos com água e sabão ou sabonete líquido, ou álcool 70%, usar óculos de proteção ou protetor facial (face shield), máscara e avental/jaleco de proteção.

“Esses itens, assim como toalhas, roupões, lençóis para macas e outros, devem ser higienizados a cada uso, acondicionadas e transportadas em recipientes ou sacos fechados e podem ser lavadas como de costume. Lembrando ainda a importância do uso de EPIs durante o manuseio e transporte das roupas sujas, bem como, a lavagem das mãos após essas ações”, alerta a gerente.

O protocolo para a atividade determina ainda que, na entrada dos salões e outros pontos estratégicos, devem ser disponibilizados locais para a higienização das mãos, sejam pias ou dispensadores de álcool 70%, além de tapete sanitizante. Os mostruários impressos devem ser substituídos por formas virtuais e o pagamento eletrônico também deve ser estimulado, com instalação de barreiras em caixas e afins. A ventilação natural deve ser priorizada, com a manutenção de portas e janelas abertas.

A reabertura dos salões de beleza está inclusa na Etapa 1 da Fase 3 de retomada das atividades econômicas e sociais. Além deles, voltam a funcionar transporte rodoviário coletivo de passageiros, sob regime de fretamento, e outros transportes rodoviários, além das atividades da administração pública geral, direta e indireta, relações exteriores e Justiça.


Fonte: Com informações da PMT

Comentários