Geral

Igreja não fechará com obras · 23/04/2019 - 14h42

Troca do piso da Catedral no município de Picos divide opiniões; entenda caso!

Nas últimas horas inúmeras pessoas, entre fiéis e arquitetos, demonstraram suas insatisfações com a mudança


Compartilhar Tweet 1



Na Catedral de Nossa Senhora dos Remédios, eleita a 2ª Maravilha do Estado do Piauí, os sons que ecoam atualmente não são de celebrações eucarísticas, mas sim de cavadores, carrinhos de mão, martelos, marretas, pás e do trabalho de operários da construção civil. Isso porque desde esta última segunda-feira (22), teve início na Igreja Matriz uma obra que tem gerado polêmica na cidade de Picos: a troca do piso original de ladrilho hidráulico, mais conhecido como mosaico, por pedras de granito e mármore. Com informações do Portal O Povo

Nas últimas horas inúmeras pessoas, entre fiéis e arquitetos, demonstraram suas insatisfações com a mudança da superfície original do interior do principal templo religioso católico do município. Principalmente nas redes sociais a atitude da igreja católica foi considerada um verdadeiro “sacrilégio”. A principal queixa é quanto à perda do legado histórico que a retirada do piso representará para a sociedade que já tem uma memória tão apagada, seja pela perda de inúmeros casarões ou a má conservação de prédios públicos antigos.

“Muito mais que um crime. Um atentado a história, uma prova do perigo da insanidade e ignorância dos homens. Piso original da Catedral Nossa Senhora dos Remédios em mosaico, sendo substituído por cerâmica”, lamentou o internauta, Adalberto Nogueira, em post compartilhado no Instagram e que viralizou recebendo o apoio de dezenas de pessoas.

Foto/ Portal O Povo/ Piso da lateral direita já foi quase todo retirado
Foto/ Portal O Povo/ Piso da lateral direita já foi quase todo retirado 

Também na mesma rede social o arquiteto picoense, Plínio Campos, detonou a troca do piso. “Há vários nomes a serem dados: ‘burrice, falta de cultura, responsáveis incompetentes, falta de respeito, oportunismo’, mas o que resume tudo isso é crime”, postou. A postagem teve dezenas de comentários considerando a troca do piso como um absurdo.

Diante da polêmica instalada o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Piauí (CAU/ PI), anunciou uma fiscalização na Catedral ainda nesta terça-feira (23), o que não aconteceu até o fechamento desta matéria. A entidade também acionou o Ministério Público do Estado do Piauí (MP/ PI), para que sejam prestados mais esclarecimentos para a obra que o CAU considerada que subtraí parte do valor histórico da igreja. Em entrevista, o presidente do Conselho, Wellington Camarço, depois de ver as fotos e ouvir a opinião de arquitetos locais, classificou a obra como uma “medida exagerada”.

(Foto/ Portal O Povo/ Piso de mosaico será substituído por pedras de granito e mármore)
(Foto/ Portal O Povo/ Piso de mosaico será substituído por pedras de granito e mármore) 

Na manhã de hoje, o Bispo Diocesano de Picos, Dom Plínio José da Luz, comentou a polêmica em torno da obra de mudança do piso da 2ª Maravilha do Estado do Piauí. Embora tenha deixado escapar que foi surpreendido com os entulhos no adro da igreja, o que indica que não foi avisado quanto ao início dos trabalhos, o Bispo, de forma serena, disse que essa retirada dos ladrilhos não é algo novo. Dom Plínio ainda salientou que a iniciativa partiu da própria sociedade ainda no ano de 2012, quando o Pároco de Nossa Senhora dos Remédios era o Padre Gregório Leal Lustosa, e teve continuidade no ano passado com o atual Pároco, Padre Francisco Pereira Borges, o Padre Chiquinho.

“Alguns empresários e pessoas que participam da igreja, fiéis, procuraram o Padre Gregório dando a sugestão de mudar o piso da igreja porque o piso estava encardido, desgastado. E Padre Gregório veio falar comigo e eu disse que essas coisas tinham de ser feitas como muita prudência, com a realização de um plebiscito para consultar o povo, os fiéis, aqueles que frequentam a igreja. Então ele fez o plebiscito só que veio o tempo dele sair [da Paróquia de Nossa Senhora dos Remédios] e ele não encaminhou a construção. Daí quando o Padre Chiquinho chegou, já agora em 2018, ele colocou a mesma situação que alguns empresários e alguns fiéis estavam novamente cobrando essa necessidade de melhorar o piso”, relatou o Bispo, acrescentando que em um novo plebiscito realizado no ano passado, dessa vez pelo Padre Chiquinho, ao longo de três finais de semana, a maior dos fiéis foi a favor reforma. “Não foi uma inciativa própria da Catedral que chegou até aqui pelo Bispo ou pelo Pároco”, completou.

(Foto/ Portal O Povo/ Dom Plínio disse que dois plebiscitos foram realizados antes da mudança)
(Foto/ Portal O Povo/ Dom Plínio disse que dois plebiscitos foram realizados antes da mudança) 

Dom Plínio explicou que depois dos pedidos dos dois párocos, como é comum, levou o assunto para análise do Colégio de Consultores, que é instância da Diocese responsável por avaliar esse tipo de situação. Lá ficou definido que proposta teria que ser enviada para a CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil), através do Setor de Artes Sacras. Em seguida a CNBB enviou até Picos o arquiteto, Tobias Bonk Machado, que é assessor do Setor Espaço Litúrgico da Comissão para a Liturgia, que avaliou a necessidade de se mudar o piso da Catedral.

“Aí ele veio aqui, viu toda estrutura da igreja, viu a situação também do tempo que o piso tem e aí ele apresentou um projeto de reforma do piso [...] e apresentou através de videoconferência e outra vez ele veio aqui e passou uma manhã com todos os padres da Diocese, leigos, para falar sobre a importância do espaço litúrgico. Porque aqui ele visualizou não só o piso, mas também alguns setores do espaço litúrgico que merecem exatamente uma consideração para ficar exatamente como pede a igreja. E assim foi feito o processo e agora o Padre Chiquinho mandou tirar o piso”, destacou o Bispo.

(Foto/ Portal O Povo/ Ladrilhos hidráulicos retirados da Catedral)
(Foto/ Portal O Povo/ Ladrilhos hidráulicos retirados da Catedral) 

Em relação às reações contrárias a mudança do piso, Dom Plínio falou que embora a maioria seja a favor, seria estranho se alguns fiéis não reagissem. No que diz respeito ao fato do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Piauí ter acionado o Ministério Público ele salientou que as entidades têm direito de questionar a obra na Justiça, contudo ele ressaltou que a igreja é uma instituição particular. “E que o seu patrimônio ela usa para o seu dia-a-dia, para os seus serviços, agora nós respeitamos as Leis e aguardamos o parecer [do MP]”.

De arquitetura no estilo gótico, a Catedral de Picos começou a ser construída em 1948 e ficou pronta vinte anos depois. Originalmente ele teve o piso encoberto por cinco tipos de ladrilhos hidráulicos. Com a obra de retirada eles serão substituídos por cinco tipos de peras de granito e mármore.

(Foto/ Portal O Povo/ Engenheiro apresenta o projeto da obra que será realizada não só no piso da Matriz)
(Foto/ Portal O Povo/ Engenheiro apresenta o projeto da obra que será realizada não só no piso da Matriz) 

O engenheiro responsável pela obra, Ayrton José da Costa Luz, destacou que parte do antigo piso será mantida em alguns lugares estratégicos no templo religioso como “testemunhos” da história. “Vai ser feito um testemunho do piso na entrada da igreja. São algumas pedras que vão ficar junto com as pedras novas, com o piso novo. No vão central da igreja será feito um uma tira de aproximadamente 1,2 metros em que vai estar o piso na posição que ele está hoje e também na chegada do presbitério, no cruzeiro da igreja vai ser feito outro testemunho com as pedras. Na igreja toda vão ter vários testemunhos para a pessoa relembrar o piso antigo. Na Sacristia vai ser conservado o piso integral, vamos recuperar as peças e vamos conservar o piso integral que seria o testemunho maior a Sacristia”, enumerou o engenheiro.

Ayrton José Costa da Luz calculou que essa obra do piso da matriz está orçada em torno de R$ 800.000,00 reais. Ele informou que parte do recurso virá de uma campanha para venda, aos fiéis, das pedras do piso antigo que está sendo retirado da igreja. “Esse piso vai ser parte de uma campanha para arrecadação de fundos para obra. Eles serão limpos, moldurados e colocado um adesivo em que servirá de lembrança para as famílias que vão ajudar no piso”.

(Foto/ Portal O Povo/ Ladrilhos serão limpos, moldurados e vendidos para ajudar na obra orçada em R$ 800 mil)
(Foto/ Portal O Povo/ Ladrilhos serão limpos, moldurados e vendidos para ajudar na obra orçada em R$ 800 mil) 

Paralelo a obra da troca do piso, outros reparos serão realizados da Catedral. Elas compreenderão as instalações elétricas, as instalações hidráulicas dos climatizadores e o sistema de som. Outras mudanças importantes também serão realizadas em outras partes da igreja. “Vai ter uma mudança no Presbitério. Atualmente a Nossa Senhora dos Remédios ela está posicionada acima do Cristo e depois do Concílio Vaticano 2º [ficou decidido que isso] é liturgicamente errado. Vai ser feito um pedestal para Nossa Senhora dos Remédios e vai ser colocado na lateral onde é hoje a pia batismal. A pia batismal vai ser deslocada para a lateral esquerda da igreja e vão ser feitos confessionários climatizados nos finais dos corredores laterais. Os confessionários de madeira vão ser conservados e repaginados. E os vitrais já estão sendo restaurados desde o ano passado”, pontuou.   

Apesar das obras, a igreja continuará aberta e funcionando normalmente. “No início foi cogitado levar a igreja para o Salão Paroquial, mas o padre descartou qualquer possibilidade e as obras serem feitas com a igreja funcionando. Essa igreja recebe diariamente várias pessoas que vem aqui orar, rezar em horário que não é de missa e a igreja funciona o dia todo. Então a igreja não será fechada e quando as peças forem ser colocadas para não ralar vai ser isolada a área que são as laterais direita e esquerda e o vão central. Vamos trabalhar primeiramente nas latearias, depois o vão central, o presbitério e aí a gente libera a igreja”.

O prazo de conclusão da obra é o mês de fevereiro de 2020.

(Foto/ Portal O Povo/ Igreja ganhará confessionários climatizados)
(Foto/ Portal O Povo/ Igreja ganhará confessionários climatizados) 

 


Comentários