Geral

Segundo dados do IBGE · 26/10/2020 - 15h01 | Última atualização em 26/10/2020 - 17h09

Reduz a procura por atendimento médico entre as pessoas com sintomas da Covid-19 no Piauí

Seis em cada dez pessoas do Piauí (60,6%) que relataram ter sintomas não procuraram atendimento


Compartilhar Tweet 1



 Em setembro, seis em cada dez pessoas do Piauí (60,6%) que relataram ter sintomas conjugados relacionados à síndrome gripal da Covid-19 não procuraram atendimento em estabelecimento de saúde. Em agosto, o percentual havia sido de 29,1%, o que indica um aumento de 108% daqueles com sintomas conjugados relacionados à Covid-19 que não procuraram atendimento. É o que aponta a PNAD COVID19, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A pesquisa não trata de diagnósticos médicos, mas apenas de informações relatadas pelas próprias pessoas. São considerados como sintomas conjugados da Covid-19 para a pesquisa: perda de cheiro ou de sabor; tosse, febre e dificuldade para respirar; febre, tosse e dor no peito.

Todavia, houve redução no percentual de pessoas que relataram ter tido sintomas conjugados da Covid-19 em setembro. Em agosto, o indicador era de 0,7% da população piauiense, que caiu para 0,2% em setembro. Em números absolutos, significa que 22 mil pessoas haviam relatado a situação em agosto, passando a apenas 7 mil em setembro.

Também reduziu a quantidade daqueles que relataram ter tido algum dos sintomas isolados relacionados a síndromes gripais em geral. Era 4% da população piauiense em agosto, que caiu para 3% em setembro. Isso significa que, de 131 mil pessoas em agosto, o número passou a 98 mil em setembro.

Os 12 sintomas relacionados a síndromes gripais em geral são: febre, tosse, dor de garganta, dificuldade para respirar, dor de cabeça, dor no peito, náusea, nariz entupido ou escorrendo, fadiga, dor nos olhos, perda de olfato ou paladar e dor muscular.

Das pessoas com sintomas isolados relacionados a síndromes gripais em geral, sete em cada dez (73,6%) não procuraram estabelecimento de saúde em setembro, percentual que permaneceu estatisticamente estável com relação ao que foi verificado em agosto.


Fonte: Com informações da Ascom/IBGE

Comentários