Geral

Com um custo bem menor · 10/09/2019 - 09h48

Programa Habitar Servidor deve construir 500 casas para servidores estaduais do Piauí

O colegiado também analisou projetos na área de segurança, abastecimento e assistência social


Compartilhar Tweet 1



O Conselho Gestor de Parcerias Público-Privadas aprovou, nessa segunda-feira (9), no Palácio de Karnak, a proposta de parceria para o programa Habitar Servidor, que deve disponibilizar aproximadamente 500 unidades habitacionais para servidores públicos estaduais, nos moldes do Minha Casa, Minha Vida. Na reunião do conselho também foi deliberado sobre as propostas de saneamento e abastecimento d’água dos territórios de desenvolvimento Vale do Canindé e Vale do Guaribas, televigilância e Central de Controle e Monitoramento e os Abrigos de Idosos Casa São José e Vila do Ancião. 

A superintendente de Parcerias Público-Privadas, Viviane Moura, destacou que a proposta do Habitar Servidor aprovada pelo conselho, deve ser encaminhada para a Procuradoria Geral do Estado (PGE) e, em seguida, deve ser feito o chamamento público para as empresas que tenham interesse em investir. “Será um empreendimento voltado para o servidor público, com um custo menor que o Minha Casa, Minha Vida, em razão do terreno do Estado que entrará na negociação como subsídio, conseguindo, assim, um melhor custo para os mutuários”, comentou a gestora.

De acordo com o governador Wellington Dias, o objetivo principal das PPPs é trazer mais investimentos e condições de dar respostas em algumas áreas, tendo a inciativa privada como parceira. O gestor destacou o sistema de tecnologia para a segurança pública de telemonitoramento, como um investimento importante para a redução da criminalidade. “Esse investimento vai garantir, com a leitura facial e drones, bons resultados na redução da criminalidade, cuidando também das nossas fronteiras, integrado com o sistema moderno da Secretaria da Fazenda e do Detran, com um custo reduzido”, comentou o chefe do Executivo estadual. 

Saneamento

O projeto de saneamento, analisado pelo conselho de PPPs, envolve os municípios de Picos, Floriano e mais de 40 outros municípios deficitários. De acordo com Viviane Moura, a concessão deve ocorrer nos moldes de Teresina, com a perspectiva de inclusão de outras cidades. 

Abrigos

O outro projeto tratado foi a reestruturação dos abrigos de idosos, Vila do Ancião  e Vila São José. “A ideia é melhorar esses equipamentos cuidando cada vez melhor dos nossos idosos, dentro da legislação e da responsabilidade do Estado”, comentou Wellington.


Fonte: Com informações da Ascom

Comentários