Geral

Segue até dia 5 de fevereiro · 30/01/2012 - 01h26

PRF reforça recolhimento de animais soltos nas rodovias

A ação tem como objetivo diminuir o risco de colisões com os bichos criados soltos


Compartilhar Tweet 1



Por conta da proximidade do período carnavalesco, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) intensificou a operação que recolhe animais soltos nas rodovias que cortam o Piauí. A ação tem como objetivo diminuir o risco de colisões com os bichos criados soltos à beira das estradas.

No ano passado, esta foi a terceira maior causa de acidentes nas rodovias do estado. A PRF registrou quase 260 ocorrências deste tipo em 2011, que resultaram na morte de cinco pessoas e deixaram mais de 90 feridos.

A operação foi dividida em duas etapas e segue até o dia 5 de fevereiro, com duas equipes atuando na BR 343, no trecho que vai desde Teresina até as cidades do litoral piauiense. As equipes, formadas por um policial e dois laçadores, tem o suporte de um caminhão, utilizado no transporte dos animais apreendidos. Somente na última terça-feira, primeiro dia de fiscalização, 16 animais foram apreendidos e levados para o depósito na cidade de Piripiri, situada na região Norte do Estado.

No ano passado, 1.575 bois, vacas, jumentos, cavalos e burros foram apreendidos nas rodovias piauienses, o que representa um aumento de 80% com relação aos índices de 2010.

Segundo o inspetor da PRF, Raimundo Rameiro, o recolhimento de animais soltos na pista costuma ser intensificado às vésperas dos períodos de feriadão para prevenir os acidentes. "Com as chuvas, o risco é ainda maior porque, durante à noite, os animais costumam recorrer ao asfalto por este estar com a temperatura mais quente que a do ambiente", alerta Rameiro.

A presença de animais na pista foi a terceira maior causa de acidentes nas rodovias que cortam o Piauí em 2011 e o levantamento da PRF mostra que a rodovia 343 foi a que mais registrou este tipo de ocorrência (ao todo, foram 124 neste trecho). Em seguida, vem a BR 316, com 89 acidentes envolvendo animais. Nos últimos dois anos, foram 476 acidentes, 146 pessoas feridas e 11 óbitos.

"Infelizmente, a cultura do piauiense é de criar os animais soltos e isto representa um risco à beira das estradas. Por conta das multas e das dificuldades para reaver os animais, acreditamos que, a partir da apreensão, os criadores tenham mais cuidado e mantenham animais presos", expõe Rameiro. Segundo ele, quando ocorre a apreensão, os animais são encaminhados para galpões na cidade mais próxima e o valor das multas para reaver os animais é afixado pelas prefeituras.

Como a maioria dos acidentes envolvendo animas na pista ocorrem no turno da noite, a PRF lembra que medidas preventivas do condutor podem fazer a diferença. Uma delas é o reduzir a luz do veículo ao cruzar com outro em pista simples, pois isto melhora a visibilidade para ambos os condutores.
Outra orientação da PRF é reduzir a velocidade antes de cruzamentos. "Por si só, este tipo de acidente tem um impacto muito grande sobre o veículo. Com a velocidade reduzida, mesmo que não seja possível evitar a colisão com o animal, os prejuízos financeiros serão menores e aumentam as chances de não haver vítimas graves", reforça Rameiro.


Fonte: Com Informações Do Diário Do Povo