Geral

Em agosto · 31/07/2015 - 15h01

'Piauí Cap' retorna e já tem um novo concorrente; conheça o 'Verde Cap'

Mercado local agora terá dois sorteios de títulos na TV com o lançamento do Verde Cap


Compartilhar Tweet 1



Atualizada às 12:22

O título de capitalização Piauí Cap deve voltar ao mercado após oito meses de ter sido proibido pela Justiça Federal. Mas, ao contrário do que tinha sido informado anteriormente, o Verde Cap não faz parte do Grupo Promobem, de Pernambuco. O Verde Cap será o concorrente direto do Piauí Cap. Quem vai administrar o Verde Cap serão empresários locais.

Alguns vendedores já foram avisados e receberão o material do Verde Cap em breve.

Em Teresina, os apresentadores dos sorteio do Verde Cap já estão divulgando fotos nas redes sociais.

Quem ficará responsável pelas peças publicitárias do Verde Cap será a agência Nova Comunicação, comandada pelo publicitário Alexander Douglas Anastácio, o Alex Nastácio. Ele mesmo já postou foto com o mascote do agora Verde Cap e declarou nas redes sociais: “Está chegando, em agosto tem novidade”.

COMO SERÁ O VERDE CAP?
O publicitário informou que o Verde Cap também será um título de Capitalização, mas terá "alguns diferenciais com relação aos concorrentes".

"Além dos quatro prêmios principais (dinheiro, carro e motos), ainda teremos 10 giros premiados", informa. Ele também disse que a principal novidade do Verde Cap será a chance extra, ou seja, a pessoa compra um título e concorre duas vezes.

Os sorteios do Verde Cap serão transmitidos, ao vivo, em três emissoras, na TV Antena 10, na Rede Meio Norte e na TV Cidade Verde.

PROMOBEM E A DECISÃO DA JUSTIÇA FEDERAL
Em junho, o Tribunal Regional da 5ª Região autorizou as empresas do Grupo Promobem a voltarem às atividades. O TRF5 seguiu o entendimento do MPF, de que compete ao órgão fiscalizador responsável, no caso a Superintendência de Seguros Privados (Susep), o disciplinamento das atividades das empresas que integram o segmento de capitalização, inclusive na adoção de medidas restritivas à comercialização ou mesmo exclusão da empresa do segmento.

O parecer do MPF considerou a atividade concernente à prática da modalidade popular de títulos lícita, no entanto, ressaltou que tal permissão em nada prejudicará a apuração de irregularidades que possam ter ocorrido anteriormente. Por fim, lembrou que não existe qualquer vedação às atividades da empresa.

Por enquanto, não foi informada oficialmente a data do reinício do Piauí Cap. Na pagina do Piauí Cap no Facebook foi informado o primeiro sorteio ainda em agosto.

FORMAÇÃO DE QUADRILHA E LAVAGEM
Os empresários do Grupo Promobem foram acusados de formar quadrilhas que agiam por meio de títulos de capitalização, desviando dinheiro que deveria ser destinado a instituições filantrópicas.

A decisão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região de liberar a comercialização acata um mandado de segurança sigiloso, no qual o processo continua tramitando, e a decisão pode ser revogada.

O advogado do grupo Promobem acredita que a decisão será mantida. “Não vejo risco de ter uma nova paralisação, porque a justiça foi clara quando disse que não havia qualquer indício ou justificativa para que as atividades permanecessem paralisadas", declarou o advogado Alexandre Lustosa ao Jornal do Comércio de Pernambuco.

DECISÃO SIGILOSA
Assim que foi divulgada a liberação dos sorteios, a reportagem do 180 entrou em contato com a assessoria do TRF5 para ter acesso ao conteúdo da decisão que beneficia o grupo do Piauí Cap, mas foi informado que o teor do mandado de segurança não seria nem publicado no Diário da Justiça. Foi pedido ainda, por telefone, autorização para a reportagem ter acesso ao conteúdo “não sigiloso” do processo, mas a assessoria disse que não seria possível.

GERENTE DO PROMOBEM VEIO A TERESINA
No dia 1º de julho, o blog Aquiles Nairó informou que, um dos réus investigados na Operação Trevo, o empresário Zanoni Tavares Pedrosa, conseguiu autorização do Tribunal Regional Federal da 5ª Região para fazer uma viagem para Teresina entre os dias 20 e 30 de julho. Ele é o gerente do Grupo Probem, que além do Piauí Cap administrava o Pernambuco da Sorte, o Ceará da Sorte e outros.

Em novembro do ano passado, a Justiça Federal concedeu habeas corpus aos reús Júlio Emilio Cavalcanti Paschoal Neto, Hermes Coutinho Paschoal, Gustavo Coutinho Paschoal e Cláudio da Rocha Paschoal – irmãos e sócios da Promobem Pernambuco – e Zanone Tavares Pedrosa. Os cinco estavam presos no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, Região Metropolitana do Recife.

OPERAÇÃO TREVO DA POLÍCIA FEDERAL
No dia 12 de novembro de 2014, 300 policiais cumpriram mandados no Piauí, em Pernambuco, Alagoas, Amazonas, Bahia, Espirito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande de Sul. Ao todo foram cumpridos 12 mandados de prisão temporária, 24 mandados de prisão preventiva, 57 mandados de busca e apreensão, 47 mandados de sequestro de valores, sequestro de bens imóveis e de automóveis de luxo.


LEIA MAIS SOBRE O PIAUÍ CAP:

FANTÁTISCO: Lar da Esperança teria de receber R$1,8 milhão

PIAUÍ CAP só declarava R$ 1,6 milhão para Receita Federal

NOTA DO MPF SOBRE O PIAUÍ CAP