Geral

Acidente matou cinco pessoas · 09/10/2013 - 09h59

MP-PI PERDE prazo e médico ficará livre do Tribunal do juri

PENA QUE DEVERIA SER DE 30 ANOS será agora no máximo de 4 anos; cinco morreram


Compartilhar Tweet 1



O MP-PI (Ministério Público do Piauí) perdeu o prazo para tentar colocar o médico Marcelo Martins de Moura no banco do Tribunal do Juri. O recurso apresentado pelo Ministério Público foi de 22 dias após a intimação, quando deveria ter sido apresentado 15 dias depois. Com isso, o desembargador Fernando Carvalho Mendes, negou seguimento ao Recurso.

Se fosse julgado pelo tribunal do Juri, Marcelo Martins Moura poderia ser condenado a 30 anos, mas com a perda do prazo o médico será julgado por homicídio culposo no trânsito onde a pena prevista é a de detenção de dois a quatro anos. No momento do acidente ele apresentava sinais de embriaguez, mas se recusou a fazer o teste do bafômetro.

No acidente,que ocorreu em 6 de junho de 2012, cinco pessoas da mesma família morreram na BR-343, entre os municípios de Altos e Campo Maior. Leudivan Pereira Lima, 45 anos, Bernadete Maria Lima, 50 anos, Leonidas Pereira Lima, 50 anos, Rita Teixeira Soares Lima, 40 anos e uma criança de três anos, Lorena Soares, todos morreram na hora.

O médico Marcelo Martins de Moura, que conduzia a Hilux que bateu de frente com o Siena onde estavam as cinco vítimas. Isso porque foi comprovado que o médico estava alcoolizado quando ocorreu o acidente, e no caso, foi considerado o dolo eventual. Além disso, ele estava em alta velocidade e ainda na contramão.

Depois de passar pouco menos de um mês preso, recluso em uma cela no Comando do Corpo de Bombeiros do Piauí, Marcelo Martins de Moura foi solto por determinação do Tribunal de Justiça. O pedido de habeas corpus foi aceito e o médico passou a responder pelo crime em liberdade.

VEJA MAIS NO BLOG DO AQUILES NAIRÓ