Geral

Morreu de uma parada cardíaca · 30/11/2013 - 21h14

Morre aos 78 anos no Rio o pai de Cazuza e dono da Som Livre

Criador da Som Livre, ele revelou Djavan, Xuxa e Barão Vermelho


Compartilhar Tweet 1



O corpo do produtor musical João Araújo foi enterrado no Cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro, às 17h deste sábado (30). Araújo, que tinha 78 anos, sofreu uma parada cardíaca, em casa. Ele era pai do músico Cazuza e estava casado havia 56 anos com Lucinha Araújo.

Ele foi enterrado com uma bandeira do Flamengo, no mesmo jazigo do filho Cazuza. O sepultamento aconteceu debaixo de chuva.

João Araújo foi um dos executivos mais importantes da indústria fonográfica brasileira. Ele passou por várias gravadoras até ser chamado para criar a Som Livre, das Organizações Globo, da qual foi presidente desde a fundação até 2005, quando se aposentou. Atualmente, ele era presidente de honra da Associação Brasileira dos Produtores de Discos.

Fora do meio musical, João Araújo é muitas vezes lembrado como o pai do Cazuza. O executivo preferiu não interferir nos rumos da carreira do filho poeta, mas ao longo de quase 50 anos foi responsável pelo lançamento de grandes nomes da música brasileira: Elis Regina, Caetano, Gal Costa e os Novos Baianos.

Na empresa Som Livre, ele também revelou muitos artistas, entre eles Xuxa, Djavan e Barão Vermelho, o antigo grupo de Cazuza. Antes, passou pelas gravadoras Odeon, que tinha entre suas estrelas na época Dorival Caymmi e João Gilberto, e Philips, onde apostou em Gal Costa e Caetano.

Araújo enfrentava problemas de saúde desde que faturou o fêmur em uma queda. Ele chegou a ser operado no início do mês.

Caetano Veloso também esteve no velório de João Araújo. Segundo ele, o produtor foi o responsável pelo lançamento dele e de Gal Costa (Foto: Kathia Mello/G1)

Carioca do Leblon e torcedor do Flamengo, o produtor musical era o caçula de seis irmãos. Ele tinha 14 anos quando trocou o emprego de laboratorista por auxiliar de imprensa em uma gravadoa. A partir daí, nunca mais deixou a indústria fonográfica e se transformou em um dos produtores musicais mais respeitados do Brasil.

Araújo ainda teve seu talento reconhecido ao receber o prêmio Grammy Latino, em 2007, concedido a pessoas com importantes contribuições em gravação e promoção musical.

Velório
Entre amigos e familiares, estiveram no velório as apresentadoras Xuxa e Ana Furtado, o produtor musical Luís Carlos Miele, o escritor Zuenir Ventura, a atriz Rosamaria Murtinho, o autor de novelas Gilberto Braga, José Frejat, pai do músico Frejat, que foi parceiro de Cazuza no Barão Vermelho, e os diretores da TV Globo Daniel Filho, Boninho, Ali Kamel.

O presidente das Organizações Globo, Roberto Irineu Marinho, e sua esposa Karin foram ao velório. Também compareceram o vice-presidente José Roberto Marinho e a esposa Vânia e o vice-presidente João Roberto Marinho e a esposa Gisela, além do diretor de projetos esportivos especiais da TV Globo, Roberto Marinho Neto.

"Ele é uma pessoa muito querida. Era um amigo pessoal muito querido e uma pessoa de uma importância enorme para a música. É uma perda muito grande", disse a autora Gloria Perez, que chegou por volta das 13h.

"João vai deixar um legado para a música brasileira. Ele fez história", afirmou a cantora Leiloca, ex-As Frenéticas.

Xuxa chegou ao velório por volta de 15h e deixou o cemitério após quase duas horas, chorando muito, ao lado do namorado.

Gilberto Braga, autor da novela Água Viva, que está sendo reprisada no canal Viva, recomendou que as pessoas assistam à telenovela porque a trilha é "a síntese do bom gosto do João".

O cantor Caetano Veloso também foi ao velório de Araújo. Ele chegou ao local por volta de 16h30. Pouco depois, a atriz Glória Pires chegou ao velório, acompanhada pelo marido Orlando Morais.

"Ele era uma pessoa muito generosa e prestou muito serviço ao país e à música. Temos que reconhecer o trabalho dele. Eu o conhecia há quase tanto tempo quanto Cazuza conheceu Frejat", declarou José Frejat.

Dedicação
Em nota oficial divulgada pela Som Livre, Araújo é apontado como o mais importante executivo da empresa e responsável pelo lançamento dos principais nomes da música brasileira. Veja o texto na íntegra:

"A Som Livre lamenta a perda de João Araújo, o mais importante executivo de sua história. Ao longo de mais de 35 anos de dedicação à empresa, João estabeleceu as bases da Som Livre, que deve a ele sua história e seu sucesso. João lançou as mais importantes trilhas sonoras da teledramaturgia brasileira e abriu portas para o sucesso de alguns dos principais nomes da música nacional como Novos Baianos, Djavan, Barão Vermelho e, claro, seu querido filho Cazuza. Seu legado como executivo e produtor para a música brasileira pode ser comparado, mas não será superado. Seus amigos, ex-funcionários e admiradores aqui reunidos lhe desejam descanso em paz por eternas e maravilhosas trilhas."


Fonte: Com informações do G1