Geral

Disponibilizados 14 tipos · 17/10/2019 - 12h01

FMS convoca população para atualizar caderneta de vacina

Para ter acesso às vacinas do SUS, as pessoas de todas as idades podem se dirigir às Unidades Básicas de Saúde ou hospitais de Teresina


Compartilhar Tweet 1



A vacinação é uma das formas mais eficazes de controlar surtos e evitar doenças que podem desencadear complicações sérias ou mesmo o óbito. No Dia Nacional das Vacinas, comemorado nesta quinta-feira (17), a Fundação Municipal de Saúde (FMS) convoca a população para atualizar a sua caderneta de vacinação. Ao todo, são disponibilizados 14 tipos de vacinas para todas as faixas etárias.

Para ter acesso às vacinas do SUS, as pessoas de todas as idades podem se dirigir às Unidades Básicas de Saúde ou hospitais de Teresina. Elas devem portar a caderneta de vacinação. Mas ainda que não possuam este documento, são atendidas. É importante lembrar que os usuários devem ter zelo com a caderneta, que contém o registro de vacinas tomadas durante a vida.

O Ministério da Saúde é o responsável por adquirir e distribuir as vacinas aos municípios brasileiros. “Nós sabemos que as vacinas passam por rigorosos critérios de qualidade. Em Teresina, o material é acondicionado pela Rede de Frio da FMS, responsável por mantê-lo em temperatura adequada e distribuí-lo às 104 salas de vacinas”, afirma o presidente da FMS, Charles Silveira.

“O processo de acondicionamento de vacinas segue uma série de cuidados previstos pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial de Saúde. Temos dedicação na conservação da vacina, essa é nossa prioridade máxima. Isso porque reconhecemos a importância desse material na proteção à saúde”, ressalta Amariles Borba, diretora de Vigilância em Saúde da FMS.

De acordo com o infectologista da FMS, Kelsen Eulálio, as vacinas e a melhoria do saneamento básico foram as principais responsáveis pelo aumento da sobrevida das pessoas e redução da mortalidade no século XX. “A varíola, em 1971, foi a primeira doença erradicada no mundo pelo uso da vacina; esse acontecimento é considerado a maior conquista da saúde pública até hoje”.

“No Brasil, a Poliomielite, a Rubéola e a Síndrome da rubéola congênita foram eliminadas. Tudo por conta das vacinas. O nosso país reduziu imensamente o número de casos de sarampo, a partir dos anos 90, e tinha recebido o certificado de controle da doença em 2016. Infelizmente, o título foi perdido a partir da reintrodução da doença em 2018”, finaliza Kelsen.

Conheça o calendário nacional de vacinação:

VACINAS PARA CRIANÇAS:

Ao nascer:

-Vacina BCG: tomar dose única;

-Hepatite B: dose ao nascer.

2 meses:

-Penta: primeira dose;

– Vacina Inativa de Poliomielite: primeira dose;

– Pneumocócica 10 Valente: primeira dose;

– Rotavírus: primeira dose;

3 meses

-Meningocócica C: primeira dose.

4 meses

-Penta: segunda dose;

– Vacina Inativa de Poliomielite: segunda dose;

-Pneumocócica 10 Valente: segunda dose;

– Rotavírus: segunda dose;

5 meses

-Meningocócica C: segunda dose.

6 meses

-Penta: terceira dose;

– Vacina Inativa de Poliomielite: terceira dose;

-Influenza: uma dose na campanha anual. As crianças entre 6 meses e menores de 5 anos, primovacinadas (que tomarão a vacina pela primeira vez): administrar duas doses, com intervalo de 30 dias entre as doses)

9 meses

-Febre amarela (áreas com recomendação para vacinação): dose única.

12 meses

-Tríplice viral: primeira dose;

– Pneumocócica 10 Valente: reforço;

-Menigocócica C: reforço.

15 meses

-DTP: primeiro reforço;

-Vacina Oral Poliomielite: primeiro reforço;

-Hepatite A: uma dose;

-Tetra viral ou tríplice viral + varicela: segunda dose da vacina tríplice viral e primeira dose da varicela;

4 anos

-DTP: segundo reforço;

-Vacina Oral Poliomielite: segundo reforço;

-Varicela Atenuada: segunda dose.

VACINA PARA ADOLESCENTES:

Meninas de 9 a 14 anos

-HPV: 2 doses com 6 meses de intervalo;

Meninos de 11 a 14 anos

-HPV: 2 doses com 6 meses de intervalo;

11 a 14 anos

Meningocócica C: dose única ou reforço de acordo com a situação vacinal.

10 a 19 anos

-Hepatite B: 3 doses de acordo com a situação vacinal

-Febre amarela (áreas com recomendação para vacinação): dose única se nunca tiver se vacinado ou sem comprovante;

-Dupla adulto: 3 doses de acordo com a situação vacinal e reforço a cada 10 anos;

-Tríplice viral: 2 doses, a depender da situação vacinal anterior.

VACINAS PARA ADULTOS:

-Hepatite B: 3 doses de acordo com a situação vacinal;

-Febre amarela (áreas com recomendação para vacinação): dose única se nunca tiver sido vacinado ou sem comprovante;

-Dupla adulto: 3 doses de acordo com a situação vacinal e reforço a cada 10 anos;

-Tríplice viral: se nunca vacinado: 2 doses (20 a 29 anos) e 1 dose (30 a 49 anos).

VACINAS PARA GESTANTES:

-Hepatite B: 3 doses (0, 1, 6 meses) de acordo com a situação vacinal;

-Dupla adulto: 3 doses de acordo a situação vacinal e reforço a cada 10 anos;

-dTpa: uma dose a cada gestação a partir da 20ª semana de gestação ou até 45 dias após o parto;

-Influenza: uma dose na campanha anual.

VACINAS PARA IDOSOS:

60 anos ou mais

-Hepatite B: 3 doses de acordo com a situação vacinal;

-Febre amarela (áreas com recomendação para vacinação): dose única se nunca tiver vacinado ou sem comprovante após a avaliação do profissional de saúde;

-Dupla adulto: 3 doses de acordo com a situação vacinal e reforço a cada 10 anos;

-Pneumocócica 23 Valente: uma dose a partir de 60 anos sem comprovação vacinal, e, cinco anos depois, fazer uma única dose adicional. A vacina pneumocócica 23 está indicada para grupos-alvo específicos;

-Influenza: uma dose na campanha anual.


Fonte: Com informações da PMT

Comentários