Geral

Estiagem afeta produtores · 31/08/2014 - 10h12 | Última atualização em 31/08/2014 - 10h13

Falta de chuvas no PI faz perdas com as plantações de caju chegarem a 80%

Caju tradicional, de carne mais maciça, não consegue florescer e as plantações estão perdidas


Compartilhar Tweet 1



Mesmo sendo considerada uma espécie resistente aos efeitos da estiagem, as plantações de caju não estão resistindo aos três anos consecutivos de seca no Piauí e a safra no semiárido, sobretudo na região de Picos, está muito abaixo do esperado. Sem água no solo, a floração das plantas foi drasticamente reduzida e as perdas já chegam a 80%, é o que afirma a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Piauí (Fetag).

De acordo com Paulo Carvalho, diretor de agricultura da Fetag, a situação na região de Picos é triste, mas o problema é identificado em todas as regiões do Estado. Ele afirma ainda que nos últimos cinco anos, a área plantada de caju no Piauí foi reduzida pela metade.

"Eu sou da região de Picos e estou presenciando essa situação de perto. É muito triste ver que mais de 80% das plantações existentes morreram. O problema se concentra na agricultura familiar e os trabalhadores estão sofrendo muito com isso. Mas, apesar dos problemas, a agricultura familiar persiste e as plantações também", afirma.

Algumas espécies de caju, como o nanico, estão conseguindo sobreviver à forte estiagem. Porém, o caju tradicional, de carne mais maciça, não consegue florescer. "O caju é resistente, mas é difícil manter a safra com três anos seguidos de seca", afirma Paulo.

A seca está afetando todos os segmentos da agricultura e também a pecuária. De acordo com Paulo Carvalho, as perdas dos grãos, fontes importantes da economia do Estado, são semelhantes às do caju.

"Além disso, nos últimos três anos tivemos uma perda de mais de 50% na pecuária. Essa perda é mais perigosa para o Estado porque sua recomposição demora entre cinco e 10 anos, enquanto a do caju e de grãos é mais rápida", afirma o diretor da Fetag.

Em 2014, pelo menos 152 cidades do Estado alegam ter perdido 50% ou mais da safra e já solicitaram a vistoria para recebimento do Programa Federal, Garantia Safra, vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A seca deve afetar pelo menos 100 mil agricultores, sobretudo na região do semiárido.

Ao todo, o número corresponde a 68,3% dos municípios piauienses com grandes percas na safra, sendo que 83,5% deles se concentram na região do semiárido. Mas, de acordo com Paulo Carvalho, de Norte a Sul do Estado existem municípios atingidos pela estiagem.


Fonte: Com informações do Diário do Povo do Piauí