Geral

Abusos dentro e fora da escola · 31/05/2020 - 19h03 | Última atualização em 31/05/2020 - 19h23

#ExposedThe: estudantes relatam abusos praticados por professores de escolas da capital

Tag com denúncias de adolescentes ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter. Relatos são na maioria dos casos anônimos


Compartilhar Tweet 1



Casos de abuso sexual e assédio praticados por professores de escolas e cursinhos preparatórios de Teresina estão sendo denunciados, de forma anônima, por usuárias do Twitter através das hashtags #exposedteresina e #exposedthe.

Alunas e ex-alunas têm revelado histórias envolvendo professores que foram abusivos dentro e fora do ambiente escolar. 

Os primeiros relatos começaram a circular através do perfil https://twitter.com/Exposedthe1, que já tinha mais de 2.200 seguidores, mas foi desativado.

As denúncias foram rapidamente compartilhadas e se espalharam na rede social, e as tags usadas entraram na lista dos assuntos mais comentados no Brasil.

Mesmo com a exclusão do perfil @exposedthe1, as denúncias continuaram. Para evitar exposição, adolescentes criaram contas anônimas em que denunciam os abusadores, e mencionam casos de escolas que foram coniventes com os professores. “A coordenação era ciente de tudo e mesmo assim deixou o professor por meses”, diz uma usuária.

Os abusos aconteciam com brincadeiras em salas de aula, elogios exacerbados como "gostosa", abraços e beijos inconvenientes, carícias. Ou o contrário, com comportamentos violentos ou ofensas sem razão.

Muitas dizem ser ameaçadas de terem a nota cortada na disciplina, caso denunciassem o abusador. 

As denúncias ajudaram a criar uma rede de apoio entre as usuárias. Apesar da repercussão das histórias, o anonimato das vítimas tem sido respeitado e há também incentivo para que mais denúncias sejam feitas, a fim de que as escolas e cursinhos onde os docentes atualmente trabalham se manifestem.

Usando a tag, a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres de Teresina se manifestou em post no Twitter orientando as vítimas a denunciarem os abusos ou buscarem mais informações através do Disque180. 

“Se você conhece alguém ou se você mesma sofre algum desses tipos de violência, está precisando de orientações, nós te ajudaremos através do número: 99416-9451, ou denuncie através do 180. Não se cale, denuncie!”, publicou.


Comentários