Geral

Foco principal é o aluno · 17/09/2020 - 15h00

Escolas do interior do Piauí conseguem avanço expressivo no Ideb

É o caso da Unidade Escolar Eustáquio Portela, de Santa Cruz dos Milagres, que deu um salto de 2.6 no Ideb de 2017 para 4.7 em 2019


Compartilhar Tweet 1



As escolas do interior do Piauí conseguiram um resultado expressivo no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019, demonstrando grande avanço educacional, reflexo do investimento estrutural e pedagógico realizado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc). Além do primeiro lugar do Ideb para o Ensino Médio, conquistado pelo Centro Estadual de Tempo Integral (Ceti) Augustinho Brandão, localizado em Cocal dos Alves, escolas como a Unidade Escolar Eustáquio Portela, de Santa Cruz dos Milagres, e Unidade Escolar Aprígio Pereira Bezerra, de São Julião, obtiveram crescimento considerável.

Um salto de 2.6 no Ideb de 2017 para 4.7 em 2019 impressiona a quem observa de perto a educação e sabe o quão difícil é promover uma melhoria como essa na qualidade do ensino. É o caso da Unidade Escolar Eustáquio Portela, da pequena Santa Cruz dos Milagres, polo do turismo religioso do Piauí. A escola, que ainda não é de tempo integral, deixou a todos da 7ª Gerência Regional de Educação (GRE), sediada em Valença do Piauí, impressionados.

O diretor da escola, Antônio Melo, revela que foi um trabalho árduo, e em parceria com as famílias, que tirou o Eustáquio Portela do último lugar na regional e o colocou entre as 25 melhores escolas de Ensino Médio do Piauí.

“Em 2019, realizamos uma assembleia com toda a comunidade escolar para pactuar ações visando ao crescimento, fizemos reuniões com professores para apropriação de conhecimento com a análise da matriz de referência do Saeb e das habilidades e descritores. Depois, desenvolvemos oficinas pedagógicas com professores de português e matemática, avaliação diagnóstica com alunos para aferir os conhecimentos, criamos um plano individual de atendimento personalizado para atender o déficit de habilidade de cada aluno, confeccionamos um material de trabalho em cima da matriz de referência. Por fim, aplicamos simulados mensais para a devolutiva pedagógica, com reforço para os que ainda não desenvolviam a habilidade e acolhimento dos alunos no dia da Prova Brasil”, explica Antônio Melo.

Outra escola de Ensino Médio que obteve boa evolução no Ideb, batendo a meta de 3.8 e superando a média estadual, foi a Unidade Escolar Aprígio Pereira Bezerra. A diretora dessa escola, Glória Filha, cita o acompanhamento pedagógica, o programa Se liga no Saeb e Mais Aprendizagem como ações fundamentais para esse resultado. Em 2017, a escola não tinha se qualificado para pontuar no Ideb.

A coordenadora pedagógica da unidade, Lídia Carvalho, observa que a comunidade escolar está muito satisfeita. “Com esse resultado percebemos que estamos desenvolvendo um trabalho efetivo e proveitoso, e pretendemos acelerar esse ritmo principalmente agora com a implementação da nova política curricular advinda com a BNCC. Buscamos cada vez mais conectar nosso ensino ao conhecimento de mundo para que nossos alunos possam crescer com criatividade, criticidade e atuantes de modo significativo em qualquer esfera no contexto em que vive”, diz Lídia.

Em 2019, a Seduc criou o “Se Liga no Saeb”, um programa “guarda-chuva” que norteou escolas, as Gerências Regionais e a própria equipe da Seduc em como trabalhar, mobilizar e engajar todos os atores que fazem parte do processo de avaliação do Saeb.

“Para os gestores escolares, o foco principal é o aluno e o interesse é fazer com que ele aprenda e o resultado do Ideb atesta que estão no caminho certo e que a aprendizagem está ocorrendo com qualidade. São vários os fatores que levam a esse resultado, sendo imprescindível considerar o interesse dos alunos, a equipe pedagógica qualificada e comprometida com a escola, além do trabalho que vem sendo desenvolvido em um modelo de gestão democrática e participativa. Outro detalhe importante que auxilia a chegar na meta é a parceria dos pais, apoio das Gerências Regionais e equipe central da Seduc”, relata o secretário de Estado da Educação, Ellen Gera Moura.

 


Fonte: Com informações da Ascom

Comentários