Geral

Reinserção social · 06/08/2020 - 11h07

Detentos produzem 1.800 pães por dia em penitenciária

As atividades ofertadas no sistema prisional garantem aos detentos novos olhares para o futuro e a reinserção social


Compartilhar Tweet 1



“É algo muito bom, poderei investir em uma profissão futuramente”, diz Edfran Galeno, interno da Penitenciária Professor José Ribamar Leite, a antiga Casa de Custódia, em Teresina. Ele é um dos reeducandos que trabalham, diariamente, na fabricação de pães na unidade prisional.

As atividades ofertadas no sistema prisional garantem aos detentos novos olhares para o futuro e a reinserção social. Na Penitenciária Professor José Ribamar Leite, além da panificação, os internos também trabalham na manutenção, limpeza e pintura da unidade, cultivam uma horta orgânica, entre outras atividades.

Na fabricação dos pães, são produzidos, diariamente, cerca de 1.800 pães, destinados ao consumo dos internos e servidores da unidade penal. Por mês, são mais de 50.000 pães produzidos.

    Foto: Divulgação/Ascom

Segundo Ednaldo Santana, gerente da penitenciária, o trabalho contribui para o comportamento dos detentos. “Beneficia a unidade como um todo, e facilita a ressocialização dos reeducandos. Assim, conseguimos oportunizar o trabalho e garantir que os internos ocupem suas mentes”, conta o reeducando.

Para Edfran Galeno, personagem da fala inicial desta matéria, a panificação tem sido fundamental para a sua ressocialização. “Já trabalhava nesse ramo antes de adentrar ao sistema e, agora, posso colocar em prática todos os meus conhecimentos, bem como me aprimorar. Além de passarmos o tempo, também pensamos que pode ser uma profissão para quando deixarmos o sistema prisional. Poderei abrir meu próprio negócio”, diz o interno.

O secretário de Estado da Justiça, Carlos Edilson, ressalta que a ressocialização dos reeducandos é um dos pilares da atual gestão. “O nosso compromisso é ofertar possibilidades de reinserção social aos nossos internos, gerando oportunidades nas áreas da educação e do trabalho, para que adquiram conhecimento, aprendam um ofício e possam utilizar quando saírem do sistema”, afirma o gestor.

Além da ressocialização, o trabalho no sistema penal garante ao detento a remição de pena. Conforme a Lei de Execução Penal, a cada três dias trabalhados, é remido um dia na pena do interno.


Fonte: Com informações da Ascom

Comentários