Geral

Dinheiro Público · 17/08/2021 - 18h01 | Última atualização em 17/08/2021 - 21h40

Covid-19 | Outro contrato do Hospital de Piripiri também é suspeito de superfaturamento milionário

Suspeitas são de que aquisições tiveram preço a maior da ordem de R$ 1.174.125. Tomada de Contas Especial vai apurar dano real


Compartilhar Tweet 1



 

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

Um outro contrato do Hospital Regional Chagas Rodrigues (HRCR), de Piripiri, também é suspeito de conter preços superfaturados de medicamentos - “antibióticos e eletrólitos” - para o enfrentamento da covid-19, a exemplo de caso noticiado nesta segunda-feira (16), e também esteve sob a análise do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), que constatou a possível prática.

O contrato nº 41/2020 foi assinado com a empresa 2MV Distribuidora de Produtos Hospitalares LTDA-EPP no valor de R$ 2.930.501,49. Quando da análise, os técnicos do Tribunal de Contas do Estado constataram evidências de suposto superfaturamento da ordem de R$ 1.174.125,00.

Em julgamento, conselheiros do Tribunal de Contas do Estado ratificaram a suposta prática de preço a maior na aquisição, aplicaram multa de 1.000 UFR à gestora do HRCR Nádia Maria França Costa e de 500 UFR à Helissa Maria Ferreira de Sousa, que era a presidente da Comissão Permanente de Licitação do HRCR, responsável pelo andamento da Dispensa 17/2020, que resultou no contrato supostamente superfaturado. 

A Corte de Contas também determinou a instauração de tomada de contas especial para apurar as responsabilidades e quantificar eventual dano ao erário.

MATÉRIA RELACIONADA:____________

- Técnicos do TCE apontam superfaturamento de R$ 1,1 milhão em medicamentos contra Covid-19

Comentários