Geral

"Tem que matar mesmo" · 05/12/2018 - 12h38

Comentário polêmico | Estudante alega que teve Instagram invadido e registra B.O.

No Facebook, ela relata as ameaças sofridas e pede: "Podem parar de mandar eu me matar?"


Compartilhar Tweet 1



Por Apoliana Oliveira

A estudante Aline Medeiros, da Universidade Federal do Piauí, afirmou em sua página no Facebook que registrou um boletim de ocorrências pelas ameaças sofridas na web depois que o print de um comentário, atribuído a ela, viralizou na web. A publicação, que incita maus tratos contra animais, ela diz que foi publicada por uma pessoa que invadiu a sua conta no Instagram.

O comentário foi feito em uma publicação que tratava sobre a morte de uma cadela no supermercado Carrefour, em São Paulo. Printado, circulou em grupos no WhatsApp e também pelo Facebook e Twitter, gerando revolta de internautas já comovidos com o caso da morte do animal.

"Fui vítima de um hacker, que utilizou as minhas redes sociais para causar discórdia e conseguiu", diz a estudante, que também se defende. "Aos sabedores das minhas relações próximas, sempre defendi causas que promovem o bem e que jamais seria capaz de pronunciar palavras de barbárie e que incitam o ódio".

Jovem diz que comentário atribuído a ela foi feito por alguém que invadiu a sua conta
Jovem diz que comentário atribuído a ela foi feito por alguém que invadiu a sua conta 

Aline relata ameaças e, em outro post, pede até que as pessoas deixem de mandá-la se matar. "Não escrevi aquele comentário, não tenho mais acesso ao Instagram".

Noutra publicação, acusa ainda que um novo perfil falso em seu nome foi criado e pedem que os amigos denunciem. "Desejo do fundo do coração que você, que está fazendo isso comigo, encontre a luz e o amor".

UFPI DIVULGA NOTA

Incitada por conta dos comentários da jovem, que matriculada no curso de Letras da instituição, a UFPI chegou a publicar uma nota em que repudia maus tratos aos animais. Destacou que incentiva o ativismo pela causa animal e se prepara para lançar o "Programa para o desenvolvimento e políticas de proteção, convívio e bem estar animal". Mencionou ainda a parceria com a prefeitura de Teresina que, através do Hospital Veterinário Universitário oferece castração gratuita para animais de famílias de baixa renda.

 

Comentários