Geral

Conhecidos como 'bebês-tigre' · 29/09/2015 - 19h35

Carne de gato continua a ser consumida no Vietnã, apesar de proibição

'É uma carne muito macia, mas firme. São gatos de rua ou criados com famílias', disse consumidor


Compartilhar Tweet 1



Apesar de ser proibido o seu consumo há quase duas décadas, a carne de gato se mantém popular no Vietnã, proibição esta que foi decretada, em 1998, para permitir o controle da população de ratos.

"Venho aqui quase todas as noites, acho que como uns 25 gatos por mês. Não enjoo de vir a este restaurante porque eles sabem preparar o gato de muitas maneiras diferentes", disse Tien, um consumidor local.

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, um dono de um estabelecimento especializado em carne de 'bebê tigre'- forma popular de se referir aos gatos - , aberto há dez anos, evita revelar a origem dos animais, mas Tien não tem dúvidas.

"É uma carne muito macia, mas firme. Não vêm de fazenda, são gatos de rua ou criados com famílias. Sei que tem gente que se dedica a capturá-los para vendê-los aos restaurantes", afirmou.

Segundo a associação Asia Canine Protection Alliance (ACPA), que investigou a procedência da carne de gato no Vietnã, não existem fazendas de criação de gatos e a maior parte da carne provém de animais de rua ou pertence a famílias, com os conseguintes riscos sanitários.

Apesar de ser muito comum encontrar pessoas que pensam como Tien e seus amigos em todo o país, Le Duc Chinh, da ACPA, diz que a percepção da população está mudando aos poucos.

"Muitos vietnamitas sempre viram isso como normal, mas cada vez mais as pessoas rejeitam comer as carnes de cachorro e gato, principalmente os jovens", destacou.


Fonte: Com informações de Notícias ao minuto