Geral

Dados do balanço financeiro · 19/03/2020 - 14h51 | Última atualização em 19/03/2020 - 15h06

Águas de Teresina aumenta seu lucro líquido em 892,5% ao atingir R$ 58,5 milhões em 2019

Ações de fiscalização detectaram 26,6 mil fraudes no sistema de abastecimento, segundo mensagem da administração


Compartilhar Tweet 1



 

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

A Companhia Águas de Teresina teve um aumento significativo do seu lucro líquido no ano de 2019 quando comparado ao lucro obtido em 2018. Isso porque em 2018 a lucro líquido atingiu somente R$ 5.896,00 milhões, já em 2019 a cifra saltou para o montante de R$ 58.519,00 milhões. Um acréscimo da ordem de 892,5%. As informações são do balanço financeiro “referente aos exercícios sociais findos em 31 de dezembro de 2019 e 2018”.

Trecho da “Mensagem da Administração” expõe a existência de “um trabalho intenso que tem como foco a redução de perdas em nosso sistema”. Ainda que “aproximadamente 40 km de tubulações, entre trechos de redes e ramais, foram substituídos com o objetivo de evitar a reincidência de vazamentos. Por mês, cerca de 4,6 mil são corrigidos na capital”.

Sendo que “mais de 75 mil medidores foram substituídos gratuitamente, contribuindo para a atualização do parque de hidrômetros”. 

FRAUDES 

Quanto às ações de fiscalização, elas “resultaram na identificação de 26,6 mil fraudes ao sistema” na capital.

“Por dia, 2.210 serviços de água e esgoto são executados na capital. É no Centro de Controle e Operações (CCO) que os serviços são acompanhados. Assim, a Águas de Teresina antecipa soluções e detecta qualquer inconformidade no sistema”, informam.

“Apenas em 2019, mais 48 unidades receberam automação e telemetria. Mensalmente, mais de 530 mil demandas são direcionadas à concessionária através do atendimento ao público. Em 2019, o serviço via WhatsApp passou a ser 24 horas e foram implantados o aplicativo Águas App e totens de autoatendimento nas lojas. Ainda que os canais tenham sido ampliados, as reclamações por falta d’água reduziram 35,54% em relação a 2018”, complementam.

A nota é assinada pelo diretor presidente da Águas de Teresina, Cleyson Jacomini de Sousa.

“PERFIL DA COMPANHIA”

“A Águas de Teresina é a subconcessionária responsável pelos serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto da zona urbana de Teresina, capital do Estado de Piauí. A população do município estimada pelo IBGE é de 864,8 mil habitantes [De acordo com estimativas da população residente de 1/7/2019 do IBGE]. O contrato de subconcessão foi firmado em 22 de março de 2018 e iniciou as operações no município em 7 de julho do mesmo ano. O objetivo da Companhia é universalizar o acesso à água tratada na capital do Piauí, reduzir o índice de perdas e implantar, em 16 anos, o sistema de esgotamento sanitário a 90% da população”, informam.

Inicialmente o esgotamento sanitário chegava a somente cerca de 252 mil teresinenses. Baixíssimo. 

NÚMEROS CONFLITANTES

No campo "Nossa História", na página institucional, a companhia assim reporta-se sobre os objetivos de sua atuação em Teresina:

"A concessionária tem como meta universalizar o abastecimento de água em até três anos: ampliar a coleta e tratamento de esgoto para 90% e reduzir o índice de perdas de 59% para 25%, em 10 anos, evitando o desperdício de 4.304.541 m³ por mês, volume de água capaz de abastecer uma cidade de 797.137 habitantes".

Informa ainda que "desde 7 de julho de 2017, quando assumiu a responsabilidade pela operação, a concessionária tem o objetivo de tornar Teresina referência em saneamento no Nordeste".

"Para o atingimento destas metas, a empresa investirá R$ 1,7 bilhão, sendo que R$ 650 milhões serão aplicados nos cinco primeiros anos da concessão", pontuam.

 


Comentários