Geral

Desdobramentos · 14/11/2017 - 10h25

Advogado ‘abandona’ causa após desembargador mandar apreender processo

Caso Hélio Cortez: magistrado dá o prazo de dez dias para que assassino confesso constitua um novo advogado


Compartilhar Tweet 1



Por Rômulo Rocha - De Brasília

 

O SUPOSTO ABANDONO DA CAUSA DE UM ASSASSINO CONFESSO

Um dos advogados do assassino confesso Alexandre Gomes, Raimundo Júnior, parece ter abandonado a causa do seu cliente, condenado a somente 6 anos em regime semiaberto por matar o comerciante Hélio Cortez pulando sobre sua cabeça.

O suposto abandono da causa ocorreu após o desembargador Edvaldo Moura, relator do recurso de apelação contra a decisão do Conselho de Sentença, determinar a busca e apreensão do processo no escritório da defesa de Gomes.

Segundo o advogado da família de Hélio Cortez, Gilberto Ferreira, mesmo depois de um longo prazo com o processo, o advogado do assassino confesso entregou os autos sem as devidas contrarrazões do seu cliente, no que tange aos argumentos dos recursos de apelação interposto tanto pela família de Cortez, quando pelo Ministério Público Estadual.

Em face disso, por considerar que Alexandre Gomes está indefeso, e em respeito legal ao princípio do contraditório e da ampla defesa, o desembargador Edvaldo Moura determinou que o sentenciado constitua um novo advogado para apresentar em 10 dias as contrarrazões, “sob pena de lhe ser nomeado um defensor público”.

Publicação no Diário da Justiça do Piauí
Publicação no Diário da Justiça do Piauí 

A determinação foi publicada no Diário Oficial da Justiça em 13 de novembro. Ainda que tenha se afastado da causa, o advogado de Alexandre Gomes deve deixar o cliente ciente dos acontecimentos sobre o processo pelo prazo de 15 dias, conforme os ditames legais.

O advogado Raimundo Júnior ficou conhecido antes da busca e apreensão por publicar uma foto ao lado do assassino confesso em frente ao Fórum Cível e Criminal da capital, com um texto com ataques à imprensa e citações de versos de Cecília Meireles.

A publicação ocorreu dias após a soltura de Alexandre Gomes, que já estava preso em regime fechado há quase três anos - ele passou a cumprir o resto da condenação em regime aberto.

“Por fim, como um pássaro que voa após sair da gaiola, sorriu placidamente ao ouvir de seus defensores em despedida: 'liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta, não há ninguém que explique e ninguém que não entenda", provocou.

O advogado Raimundo Júnior e o seu ex 'passarinho'... Alexandre Gomes... 
O advogado Raimundo Júnior e o seu ex 'passarinho'... Alexandre Gomes...  

 

PREJUÍZO À CELERIDADE DO PROCESSO

Ainda para o advogado da família de Cortez, Gilberto Ferreira, “essa falta de ética da advocacia criminal prejudica a celeridade do processo. Isso inclusive é caso do desembargador oficiar a OAB no sentido de que o Tribunal de Ética aplique as sanções disciplinares cabíveis”.

Ele alertou ainda que não é de se espantar que mais na frente o mesmo advogado seja novamente trazido aos autos para cuidar da defesa de Alexandre Gomes, como assim foi feito com vários outros desde o início do caso.

Gomes é defendido também por Ray Shandy, com quem compareceu para uma entrevista em portal de notícias da capital e teve suas conflitantes declarações alçadas ao posto de manchete.

O próprio portal procurou se redimir depois, diante da repercussão.

- Desembargador manda buscar e apreender processo em escritório de advogado

- Um dos advogados do assassino confesso Alexandre Gomes é agora integrante do PTB

Comentários