Segurança do paciente · 23/11/2017 - 07h09 | Última atualização em 23/11/2017 - 07h49

Conciliação de medicamentos como forma de aumentar a segurança do paciente


Compartilhar Tweet 1



A segurança na prescrição e uso de medicamentos é uma das principais preocupações de órgãos de saúde ao redor do mundo, por se tratar de uma questão que envolve diretamente a segurança do próprio paciente. O enfrentamento do problema faz parte de um grande esforço internacional, que envolve a Organização Mundial de Saúde (OMS), Ministérios da Saúde e órgãos congeneres de todos os países desenvolvidos, manifestada aqui no Brasil, pelo Ministério da Saúde, com o Programa Nacional de Segurança do Paciente.

Dentro da proposições para aumentar a segurança do paciente, a conciliação de medicamentos é um serviço clínico realizado por farmacêuticos, que tem como essência, fazer fluir as informações sobre os diversos medicamentos utilizados por um mesmo paciente. É uma atividade muito específica em resolver o problema de como as informações podem se perder, na medida em que a pessoa está sendo cuidada por muitos profissionais de saúde.

Por acompanhar o paciente me todos os níveis de atenção, o farmacêutico é um profissional com grande capacidade de agregar nessa meta de segurança, pois caminho que geralmente envolve hospital, consulta em médicos de variadas especialidades, termina na farmácia. Em todo este percurso, muitas informações podem se perder, como sobre o que ele usa, o que e ele poderia usar e o que ele deveria usar, quando ele migra entre os diferentes profissionais que vão cuidar da saúde dele? A conciliação tem esse caráter de fazer todos os profissionais envolvidos sejam conhecedores de todas as intervenções feitas no paciente, tendo o farmacêutico, por ter contato direto com o paciente em todos os níveis de atenção, a capacidade de atuar como um mediador de todo este acompanhamento e também a possibilidade de encaminhar esses casos para outros serviços.

No Brasil o assunto tem sido tema de recentes congressos, como o ocorrido recentemente no I Congresso Brasileiro de Ciências Farmacêuticas, entre os dias 15 a 18 de novembro, em Foz do Iguaçu (PR). Os farmacêuticos piauiense têm grande potencial , pois já vêm a algum tempo, se preparando para ofertar estes serviços a comunidade. Atualmente 25% dos farmacêuticos piauienses já se capacitaram ou estão se capacitando com especializações que serão de suma importância na implantação destes serviços, como especializações em farmácia clínica e farmacologia avançada.
 


Fonte: Com informações do CFF

Comentários