GripeNova · 15/04/2013 - 07h00

China tenta evitar que cepa do vírus N7H9 torne-se uma pandemia

China tenta evitar que cepa do vírus N7H9 torne-se uma pandemia


Compartilhar Tweet 1



A Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou o fim do alerta da pandemia de influenza H5N1 (conhecida como gripe suína) após analisar o risco de contaminação em diversos países e verificar que o vírus assumiu o comportamento de uma gripe sazonal.

Mas, nem bem nos livramos da ameaça de uma possível pandemia de gripe provocada pelo vírus N5H1 e já surgiu na China um novo vírus e que, se não contido e iniciar-se a transmissão humano à humano, pode torna-se uma nova ameaça mundial, desta vez provocada pela cepa mutante H7N9.

Antes dos casos registrados recentemente na China, a cepa H7N9 da gripe aviária não havia sido transmitida ao ser humano. Como acontece com a cepa H5N1, a mais comum, os cientistas temem que uma mutação viral permita a transmissão de ser humano para ser humano, o que poderia desencadear uma pandemia.

A quantidade de pessoas infectadas pelo H7N9 subiu para 55 neste domingo. Onze pessoas já morreram com a infecção (20% dos infectados). Todos os casos de infectados estão concentrados no leste da China..

Como os vírus sofrem mutações primeiro nas aves e depois é que infectam mamíferos, entre estes o homem, as cidades de Xangai, Hangzhou e Nanjing já encerraram a maioria dos seus mercados de aves, proibiram a sua comercialização e abateram milhares de galinhas, pombos e gansos para tentar conter a propagação da doença.

Recentemente a China aprovou um novo medicamento que acredita poder ser “eficaz” para o tratamento da nova estirpe do vírus da gripe aviária e segundo o jornal China Daily, que cita um comunicado oficial, as autoridades estão a efetuando exames preliminares com base em injeções de peramivir diluído em cloreto de sódio.