Soltou o verbo -

Luana Piovani dispara contra Neymar Jr. e Robinho: 'Corja de bandidos'

A disputa entre Luana Piovani e Neymar Jr. ganhou um novo capítulo. Nesta quarta-feira (05/06), a atriz e apresentadora voltou a criticar o jogador de futebol, uma semana após se envolverem em uma polêmica devido à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) sobre a privatização das praias brasileiras.

Foto: Reprodução

Desta vez, Luana trouxe à tona o nome de Fabio Galan, amigo de Robinho e também condenado no processo de estupro contra o jogador na Itália. Ela destacou que Galan é funcionário do Instituto Neymar Jr., pertencente ao atleta.

Luana compartilhou nos stories do Instagram uma matéria do UOL Esporte, escrita pelo colunista Diego Garcia, sobre o caso, e comentou: "Que lindo, o ignóbil e sua corja de bandidos". Desde o início do conflito com Neymar, Luana passou a se referir a ele como "ignóbil".

De acordo com a publicação, Galan está no instituto desde 2015, sem ter sido julgado, pois não foi localizado pela Justiça italiana. Professor de educação física pela prefeitura de São Vicente desde 2013, Galan é mencionado em notícias da instituição de Neymar Jr. como supervisor de atividades esportivas.

O Ministério Público italiano acusou o grupo de amigos de Robinho de estuprar uma mulher albanesa em 21 de janeiro de 2013, no dia em que ela completou 23 anos. Segundo a denúncia, "Galan, Falco, Rudney e Clayton, após presenciarem o ocorrido, abusaram da vítima de maneira semelhante, obrigando-a a praticar relações sexuais orais e vaginais".

A vítima relatou que Galan "tentou beijá-la" e que foi levada ao camarim, onde foi penetrada pelos homens "um de cada vez". Ela também "lembra de ter ocorrido uma relação oral com Galan e Rudney".

O Instituto Neymar Jr. afirmou à equipe de reportagem que não foi informado sobre o envolvimento de Fabio Galan no ato criminoso.

Fonte: Estado de Minas

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco